quinta-feira, 10 de agosto de 2017

1977-08-10 - COMBATER O TERRORISMO E O SOCIAL-FASCISMO - UCRP(ml)

UNIÃO COMUNISTA PARA A RECONSTITUIÇÃO DO PARTIDO (MARXISTA-LENINISTA)

COMBATER O TERRORISMO E O SOCIAL-FASCISMO

Ocorreram recentemente mais atentados terroristas no nosso meio, destruindo bens e haveres e trazendo o desassossego, às massas populares, perante a acção de meias tintas das autoridades burguesas, que em consequência os vêm permitindo há longo tempo, desde que explodiram os primeiros petardos: Nada nos indica ainda que as autoridades burguesas se disponham a tomar enérgicas medidas contra tais actos, Por conseguinte, fica mais uma vez claro, que a burguesia é incapaz de garantir a segurança, a paz, o bem estar social e uma vida melhor para o Povo, apesar das promessas que faz e de toda a demagogia sobre o exercício da democracia.

O Povo exige que se ponha fim a tais actos, identificando e reprimindo exemplarmente os seus causadores, acabando-se assim com as incertezas sobre quem os pratica.
Nesta conformidade, a União Comunista para a Reconstituição do Partido (Marxista-leninista), interpretando fielmente as aspirações das massas populares, uma vez mais protesta energicamente contra tais actos terroristas e exige das autoridades burguesas o desmantelamento dos comandos terroristas actuando a soldo de interesses, objectivos e forças adversas aos das amplas massas populares, venham eles donde vierem.
Esta nova onda de actos terroristas, passa-se precisamente no momento em que a nível regional, um sector da burguesia mais reaccionária - a fascista - explorando visíveis contradições no seio do clero e servindo-se do fanático fascista - Francisco Santana, figura obscurantista e anti-comunista, vem manipulando sectores das massas populares, a fim de expulsarem o padre Martins, da Madeira e passarem ao ataque contra os batedores de Cunhal - os trotskistas da “UDP/PCP(r)"-.
A nível nacional, estes atentados terroristas coincidem com a recuperação do bloco da burguesia social-democrata - PS/PSD - sobre o sector da burguesia social-fascista, sobretudo no terreno económico, coincidem também com as reafirmações de personalidades do variado leque militar, no sentido de manterem a situação nacional e defenderem as instituições burguesas, contra a acção desestabilizadora de fascistas e social-fascistas, mas em particular destes últimos.
Os atentados terroristas coincidem ainda com a vasta ofensiva do social-imperialismo russo, no sentido da isolar e destruir as principais forças progressistas e revolucionárias do Mundo, nomeadamente o poderoso bloco dos Povos do Terceiro Mundo e em particular a República Popular Socialista da China, o Partido Comunista da China e os demais Partidos Comunistas (marxistas-leninistas) de todo o Mundo.
É tempo de colocarmos a pergunta: No contexto atrás referido e independentemente da mão negra que ateia o fogo ou que coloca o explosivo, a quem servem os atentados terroristas que se sucedem na nossa Ilha, atingindo, quase sempre, os interesses de pessoas ligadas a sectores políticos, constantemente solicitados por Cunhal, para a formação de uma aliança, que altere a correlação de forças actual e a transforme em favor da burguesia burocrática-monopolista, a soldo do social-imperialismo russo?
Sem o mínimo receio de errar, à UCRP(ml) afirma claramente: os atentados terroristas servem sempre e em última análise àqueles que, mascarados, se apresentam ao Povo como os seus melhores defensores. Neste caso, os atentados terrorista.
Neste caso, os atentados terroristas, e todas as acções que contrariam os justos anseios das massas populares, acabam por servir ao partido social-fascista de Cunhal devido à manipulação que ele exerce no seio das organizações de classe dos trabalhadores e no seio de algumas das principais forças políticas nacionais. Numa palavra, devido à manipulação que ele exerce na opinião pública nacional.
Estas afirmações, podemos constatá-las na prática.
Assim, temos vindo a constatar que, apesar da escalada terrorista, os militantes do partido social-fascista aqui no nosso meio actuam com facilidade por toda a Ilha a os frutos são já evidentes nalgumas Associações de classe dos trabalhadores, nos arredores do Funchal, em Machico, na Ribeira Brava, na Ponta Delgada, etc..
Nunca é demais repetir: independentemente da mão regra que ateia o fogo e coloca o explosivo é ao partido social-fascista que servem os atentados terroristas.
A UCRP(ML) reafirma a sua disposição de continuar a luta contra todos os inimigos do Povo trabalhador e em particular contra aqueles que se disfarçam, de socialistas e comunistas para melhor enganar.

MORTE AO SOCIAL-FASCISMO, AO FASCISMO E AO SEPARATISMO!
MORTE AO TERRORISMO!
VIVA A RESISTÊNCIA POPULAR!
VIVA A REVOLUÇÃO SOCIALISTA PROLETÁRIA!

Funchal, 10 de Agosto de 1977
O Secretariado do CSR da Madeira da UCRP(ml)

Sem comentários:

Enviar um comentário

Arquivo