sábado, 19 de agosto de 2017

1977-08-19 - PROGRAMA LISTA B - Sindicato Oficiais Maquinistas da Marinha Mercante

SINDICATO DOS OFICIAIS MAQUINISTAS DA MARINHA MERCANTE

PROGRAMA LISTA B
LUTA UNIDADE VITORIA
POR UM SINDICATO DEMOCRÁTICO

CONTRA A CANDIDATURA AFECTA A INTERSINDICAL
POR UM NOVO CCT PARA A MARINHA DE COMÉRCIO
PELO ESTATUTO DE PROFISSÃO DOS OFICIAIS E ENGENHEIROS MAQUINISTAS

ELEIÇÕES
3/OUT/77

UMA CANDIDATURA DE UNIDADE NASCIDA DA LUTA PELA DEMOCRACIA NO NOSSO SINDICATO

1977-08-19 - RÁDIO TIRANA Nº Especial - PCP(R)

RADIO TIRANA

EDIÇÕES"
'Bandeira Vermelha’ * PCP(r) PARTIDO COMUNISTA PORTUGUÊS (RECONSTRUÍDO)

NEXHIMIJE HOXHA

ALGUMAS QUESTÕES FUNDAMENTAIS
DA POLÍTICA REVOLUCIONÁRIA DO PTA
QUANTO AO DESENVOLVIMENTO DA LUTA DE CLASSES
FIQRET SHEHU
OS PARTIDOS REVISIONISTAS
- TÍPICOS PARTIDOS BURGUESES CONTRA-REVOLUCIONÁRIOS

NÚMERO ESPECIAL
PREÇO 7$50

sexta-feira, 18 de agosto de 2017

1977-08-18 - É TEMPO DE AGIR! - LCPR

GREVE GERAL PARA FORÇAR A REVOGAÇÃO DAS LEIS ANTI-OPERÁRIAS E A DEMISSÃO DO GOVERNO!
UMA ALTERNATIVA OPERÁRIA CONTRA A CRISE CAPITALISTA!

É TEMPO DE AGIR!

O Governo capitalista e anti-operário de Mário Soares tem mais de um ano.
O Balanço deste governo é um ano de aumento de preços e de contenção de salários, um ano de desemprego, um ano de ataques aos mais elementares direitos da classe operária e de todos os trabalhadores, um ano de ataque às conquistas alcançadas após o 25 Abril, um ano de penetração e aumento da subordinação do país às agências imperialistas - a NATO, CIA, o Mercado Comum e o Fundo Monetário Internacional.

1977-08-18 - Luta Popular Nº 557 - PCTP/MRPP

EDITORIAL
O NOVO CABAZ

I
Como o nosso Partido desde o primeiro momento previu, as medidas antioperárias e antipopulares tomadas pelo Governo em 25 de Fevereiro, não só não poderiam resolver em proveito das massas um só dos problemas que sobre elas a crise actual faz abater, como representavam unicamente o inicio da aplicação de um programa imposto pelo grande capital e pelo imperialismo estrangeiro com vista a aplicar a sua solução para a crise. Ou seja, com vista a restabelecer as suas taxas de lucro à custa da desenfreada exploração dos operários (através do congelamento salarial, despedimentos, abaixamento de salários, etc.); com vista a proceder a uma maciça concentração de capital e à liquidação em cadeia das empresas «não rentáveis»: a estabelecer uma nova partilha com o capital monopolista de estado, entregando aos monopólios privados e ao imperialismo, novos sectores-chave da economia; a decretar um aumento generalizado dos preços em favor dos capitalistas; a abrir amplamente as portas ao saque do capital estrangeiro, etc.

quinta-feira, 17 de agosto de 2017

1977-08-17 - TODOS À REUNIÃO DE ESTUDANTES E FAMILIARES ABERTA A TODO O POVOMovimento Estudantil


TODOS À REUNIÃO DE ESTUDANTES E FAMILIARES ABERTA A TODO O POVO

CONTRA AS REPROVAÇÕES MASSIVAS!
EXIJAMOS A 2ª ÉPOCA PLENA EM SETEMBRO!

4ª F. Dia 17 às 21H. no C. SOCIAL do Bº do RELÓGIO

1977-08-17 - Bandeira Vermelha Nº 083 - PCP(R)

EDITORIAL
BANDEIRA DE LUTA DE TODO O POVO

Uma pergunta assalta hoje os trabalhadores portugueses: que solução adoptar para sair da crise que o país atravessa e abrir um futuro de liberdade e bem-estar para o povo? A solução para os graves problemas que afligem as massas trabalhadoras é cada vez menos uma questão em perspectiva e cada vez mais um assunto premente que exige resposta.
O movimento operário e popular atravessa um período de enormes tensões em que, por detrás do relativo abrandamento da onda grevista, se adivinha o fermentar turbulento de novas forças, a preparação de novas batalhas, a busca insistente do caminho vitorioso.

quarta-feira, 16 de agosto de 2017

1972-08-00 - Seara Nova Nº 1523

Actualidade nacional
IMPRENSA «RESPONSÁVEL E OBJECTIVA»
Por Araújo Moreira

A burguesia, que se serviu largamente da imprensa para derrubar o antigo regime, instalada no po­der, não mais deixou que a tribuna lhe escapasse ao controle. Realizada a revolução que a levou ao poder, foi ela própria, à medida que o capitalismo se desenvolvia, que criou as condições para urna profunda modificação da empresa jornalística, que passou de artesanal a industrial. Não se esqueceu, sob a democracia formal, de conceder a possibilidade a qualquer cidadão de fundar um órgão informativo que se fizesse eco da sua opinião. E dormiu descansada, consciente de que uma desenfreada concorrência (e a condução ao monopólio pela eliminação dos mais fracos), o progresso da ciência e da tecnologia (elas próprias condicionadas pelo avultado dos investimentos necessários, pelo capital) obstavam a que houvesse de facto tal possibilidade... a não ser que se fosse possuidor das dezenas de milhares de contos que exige a montagem de uma máquina informativa.

1977-08-00 - Juventude Nº 25 - UJC

Defender a mais bela conquista
CAMARADAS:
Mais uma vez, a juventude saiu para a rua. Saiu para a rua com o povo, o heróico povo alentejano que com grande esforço e abnegado sacrifício, defende a sua mais bela conquista, defende o seu direito ao trabalho, defende a sua vida futura: a Reforma Agrária.
A juventude esteve em massa no grande comício em Évora!
A juventude trabalhadora alentejana foi protestar, foi condenar um dos mais criminosos projecto-lei que jamais deveria ser aprovado na Assembleia da República por deputados Socialistas! Uma lei, um projecto-lei que a juventude repudia claramente! Uma lei que visa tirar as terras aos trabalhadores e entregá-las aos agrários exploradores do povo.

terça-feira, 15 de agosto de 2017

1972-08-15 - Semana Portuguesa Nº 38

EDITORIAL
ESTA É A OPOSIÇÃO PORTUGUESA

Despachamos 61 cartas, dirigidas a 61 personalidades portuguesas da oposição, solicitando matéria para publicarmos uma edição especialmente dedicada ao falecimento do Coronel António Oliveira Pio.
De alguns recebemos informação de que não tinham elementos para escrever sobre o companheiro Pio, de outros mandaram-nos jornais para transcrevermos, outros que devíamos transcrever de livros publicados.
Imploramos uma fotografia, fotografia claro que ainda não houvesse sido publicada, e deu-se a mesma coisa, que havia muitas fotografias publicadas e uma delas poderia ser servida.

1977-08-00 - Seara Nova Nº 1582

Editorial

A discussão da chamada Lei Barreto na Assembleia da República permite um conjunto de reflexões sobre o futuro (e o presente) deste país que não deixa de ser inquietante.
A lei agora aprovada insere-se num conjunto de medidas legislativas todas com o mesmo objectivo — recuperação pelos capitalistas (nacionais e estrangeiros) do essencial das suas antigas regalias — que tem vindo a concretizar-se na chamada lei de delimitação do sector público e privado, nas leis da greve e do controlo de gestão, vai continuar na lei de indemnizações, pela qual mais de cem milhões de contos serão entregues a capitalistas de vários matizes (fundamentalmente aos monopolista) e a especuladores da bolsa (sem distinção entre pequenas poupanças arrastadas pela miragem dos lucros fáceis e os que mantinham e alimentavam a especulação) e a latifundiários.

segunda-feira, 14 de agosto de 2017

1972-08-14 - A REVISÃO DO C.C.T. - Sindicato Bancários do Porto

SINDICATO DOS BANCÁRIOS DO PORTO
Informação 8/72
PORTO, 14 de Agosto de 1972

A REVISÃO DO C.C.T.

Colegas:
Na Informação 6/72, de 5 do corrente, referiu-se a definição dum programa de divulgação à Classe da presente revisão contratual.
Dentro dessa orientação, traz-se à apreciação dos Colegas uma análise preliminar do processo que se espera possa permitir à Classe situar-se convenientemente dentro do assunto.
Neste estudo, foi preciosa a colaboração do Conselho Técnico de Contratação (C.T.C.). A análise cronológica das alterações ao nosso CCT desde 1938 é de utilidade por demais evidente, pois facilita uma visão ampla e correcta do que tem sido e virá a ser a revisão contratual.

1977-08-14 - AVALIAÇÃO DE CONHECIMENTOS E FÉRIAS DO 2º PERÍODO E DO 3º PERÍODO DE AULAS - Movimento Estudantil

ASSOCIAÇÃO DE TRABALHADORES-ESTUDANTES DA VEIGA BEIRÃO

- COMUNICADO Nº 2 - 14/8/77
AVALIAÇÃO DE CONHECIMENTOS E FÉRIAS DO 2º PERÍODO E DO 3º PERÍODO DE AULAS

Informamos todos os colegas que por despacho do Secretário de Estado da Orientação Pedagógica foram já fixadas as datas referentes e férias e avaliação de aproveitamento dos alunos do Ensino Secundário. Assim, far-se-á a 28, 29 e 30 de Março a segunda avaliação do aproveitamento dos alunos. Entretanto estão fixadas entre 23 de Março e 12 de Abril, as férias da Páscoa. O início do 3º período de aulas será no dia 13 de Abril, prolongando-se até 13 de Junho. A terceira avaliação do aproveitamento dos alunos far-se-á nos dias 20, 21 e 22 de Junho.

domingo, 13 de agosto de 2017

1977-08-13 - FRENTE SOCIALISTA Nº 39 - FSP

FRENTE SOCIALISTA Nº 39
13.8.77 a 19.8.77

FOLHA VOLANTE da FSP - redacção: rua do Passadiço, 86 Lisboa Portugal

Ponto político
A direita tem o poder, mas não o executa na sua totalidade como desejaria, embora se prepare através de pequenos e grandes golpes para o fazer. A aliança formalizada entre o PS e o PPD e, através deste, com o CDS, é mais um passo na tentativa de criar as condições para executar um poder de direita, ou seja, o poder dos monopólios, dos latifundiários, em suma, o poder do capitalismo nacional e internacional. Mas friamente, sem triunfalismos e sem derrotismos, analizemos muito rapidamente com que forças conta a direita para executar o poder. É que não governa quem quer, governa quem pode ou quem tem força para o fazer. Neste momento a direita dispõe de uma parte do aparelho administrativo-militar, mas felizmente não domina na totalidade as Forças Armadas. Os soldados de hoje têm uma consciência diferente dos soldados do antes 25 de Abril, tal como muitos oficiais e sargentos. A direita dispõe de uma polícia de choque como no antigamente, hoje chamada de Intervenção, mas não chega para impor um poder autoritário de direita ou mesmo o fascismo tal como se verificou durante 48 anos em que as Forças Armadas lhes davam uma cobertura total o que neste momento não acontece. É que à frente de um sector do aparelho das Forças Armadas ainda se encontram homens do 25 de Abril os quais estão dispostos a resistir ao golpes de direita e extrema di­reita militar. Por outro lado a direcção direitista do PS não conseguiu dividir o Movimento Sindical, apesar de todas as tentativas feitas com o dinheiro canalizado através da CISL mas vindo da CIA. Pelo contrário, cada vez mais os trabalhadores se têm unido e organizado na defesa não só dos seus interesses mais directos como, sobretudo na defesa das conquistas do 25 de Abril. Por outro lado as organizações políticas da classe trabalhadora hoje mais organizadas e conscientes de que só numa verdadeira unidade sem sectarismos será possível vencer a direita e caminhar para o Socialismo. Por tudo isto se impõe urgentemente a necessidade das forças políticas, de esquerda e de todos os verdadeiros e consequentes anti-fascistas encontrarem uma plataforma de unidade, de trabalho e de luta contra a direita, o capitalismo o fascismo e pela construção do Socialismo. Temos que vencer, Unidos venceremos.

1977-08-13 - QUANDO OS LOBOS DESCEM AO POVOADO... - PCTP/MRPP

Partido Comunista dos Trabalhadoras Portugueses (PCTP /MRPP)

QUANDO OS LOBOS DESCEM AO POVOADO...

   1. Na passada sexta-feira, dia 12, por volta das 15 horas e 30 minutos, as mesmas mãos cobardes que no dia 1 de Agosto, na Benedita, em Alcobaça, assassinaram com três tiros a queima roupa o operário Manuel Correia dos Santos, vieram ao Largo do Rato destruir a propaganda revolucionária do nosso Partido Comunista e, em particular, um cartaz intitulado "GNR ASSASSINA UM OPERÁRIO" onde esse hediondo crime era denunciado às amplas massas do povo trabalhador.

1977-08-13 - TODOS À ASSEMBLEIA GERAL - Cooperativa do Bairro 14 de Junho


TODOS À ASSEMBLEIA GERAL

Vai-se realizar no Sábado, dia 20 de Agosto uma Assembleia Geral na Sede da nossa Cooperativa.
Nesta Assembleia Geral vão-se tratar os seguintes assuntos:
Em primeiro, o problema das nossas casas; a Câmara e o Fundo de Fomento da Habitação continuam a fazer-nos muitas promessas, mas está mais que visto que se não nos unirmos e lutarmos pelas casas, elas não nos caem do céu.
Em segundo, vai-se discutir sobre problemas internos da Cooperativa, como por exemplo sobre as cotizações dos sócios, e sobre outros problemas que existam.
Desde já, faz-se um novo apelo para que todos vão e participem nas Assembleias, pois só com a união e vontade de todos é que isto anda para a frente, pois se nos começarmos a dividir, cada um a puxar para seu lado, então é que nunca mais conseguiremos as casas a que temos direito.

TODOS À ASSEMBLEIA GERAL!
UNIDOS E ORGANIZADOS, VENCEREMOS!

Cooperativa do Bairro 14 de Junho

13 de Agosto de 1977

sábado, 12 de agosto de 2017

1977-08-00 - MANIFESTO aos trabalhadores dos CTT - Comissão de Trabalhadores CTT

MANIFESTO aos trabalhadores dos CTT
UM BALANÇO NECESSÁRIO
O caminho da Unidade e da Vitoria
Agosto de 1977

OS TRABALHADORES DOS CTT NÃO TEM A MEMÓRIA CURTA

NÃO SE PODE ESQUECER O QUE SE APRENDEU
1. Cada classe tem a sua memória, tal como cada classe tem a sua própria visão da história.
Desejaram certos pescadores de águas turvas que o povo fosse cego, surdo e mudo e que além disso fosse falho de memória, para que não tirasse as lições das lutas que travam, quem o apoiou e quem o combateu.
É preciso ter medo da história para não querer recordá-la, para tudo fazer com o fim de a deturpar, para pretender que recomece sempre de novo quem já muito viveu e aprendeu. Mas isso é impossível.

1977-08-00 - O Tempo e o Modo Nº 125

EDITORIAL
SÓ OS TRABALHADORES PODEM VENCER A CRISE

Enquanto os partidos da burguesia não podem esconder por mais tempo a sua falência política e procuram uma saída bonapartista para a crise — que é real e política — da sociedade portuguesa, os órgãos da comunicação social mimoseiam os trabalhadores com os discursos e intervenções dos governantes e principais responsáveis pelo actual quadro institucional burguês, repetindo a velha melodia do capital, tão antiga como ela, de que é preciso trabalhar mais e produzir mais.

sexta-feira, 11 de agosto de 2017

1972-08-00 - O Bolchevista Nº 11 - CML de P

QUEREMOS OU NÃO O PARTIDO

"Só um Partido guiado por uma teoria de vanguarda pode desempenhar o papel de combatente de vanguarda".
Lenine - "Que Fazer?"

À medida que prossegue o debate entre partidários e adversários da reconstituição imediata do Partido, começar a definir-se na base das suas correntes uma séria divergência politica. É uma divergência bem concreta e palpável que não tem nada a ver com certas pretensas "divergências de princípios" que alguns elementos se habituaram a invocar a torto e a direito, como argumento irrespondível para sê" recusarem à aproximação e à fusão dos grupos existentes; sobre tais misteriosas "divergências de princípios" e sobre como concebemos a unidade na base dos princípios falaremos noutra ocasião. A divergência bem concreta a que nos referimos e queremos debater neste artigo é a seguinte; afinal queremos ou não o Partido? Aceitamos nós que a tarefa prática, central e imediata de todos os grupos e elementos marxistas-leninistas é reconstruir o Partido Comunista de Portugal, ou tentamos pelo contrário alijar essa responsabilidade, adiá-la indefinidamente para preservar a actual liberdade anárquica dos grupos e comités? Estamos dispostos a encarar e assumir as pesadas exigências que representa a construção prática do Partido, pedra a pedra, como um corpo político real, vivo, existente, ou vamos passar a vida a reverenciar o Partido como um deus inacessível a que se queimam velas e fazem rezas mas de que não é cómodo aproximarmo-nos?

1977-08-00 - Os partidos políticos portugueses - 5 - UDP

Os partidos políticos portugueses - 5
UNIÃO DEMOCRÁTICA POPULAR

Nesta rubrica consagrada à divulgação da história e linhas programáticas e de acção dos partidos políticos portugueses, com assento na Assembleia da República, cabe agora a vez à União Democrática Popular (UDP)
Com textos elaborados pelos próprios partidos, já foram apresentados em números anteriores, o PS, PSD, CDS e PCP.
O critério adoptado para a ordem de apresentação baseia-se nos resultados que as diferentes organizações obtiveram nas eleições legislativas.
A União Democrática Popular foi criada em 16 de Dezembro de 1974. Porém as raízes que viriam a estar na sua origem vêm de muito atrás, mais precisamente desde que se produziu a cisão revolucionária no Partido Comunista Português em 1964.

1977-08-11 - Luta Popular Nº 556 - PCTP/MRPP

EDITORIAL
CÉU GERALMENTE NUBLADO

I
A Assembleia da República foi para férias, após ter completado o essencial do quadro legislativo necessário à aplicação do programa político do grande capital para tentar esmagar o movimento operário e popular e resolver a crise à sua maneira.
Nas suas mãos, a burguesia tem os pretextos jurídicos para lançar o grande ataque à Reforma Agrária Camponesa e aos órgãos de vontade popular nas fábricas e nos bairros, para proibir a greve e o controlo operário, para despejar os moradores pobres, para marchar contra as principais conquistas e barricadas onde se organiza o movimento de massas preste para novos combates.

quinta-feira, 10 de agosto de 2017

1977-08-10 - COMBATER O TERRORISMO E O SOCIAL-FASCISMO - UCRP(ml)

UNIÃO COMUNISTA PARA A RECONSTITUIÇÃO DO PARTIDO (MARXISTA-LENINISTA)

COMBATER O TERRORISMO E O SOCIAL-FASCISMO

Ocorreram recentemente mais atentados terroristas no nosso meio, destruindo bens e haveres e trazendo o desassossego, às massas populares, perante a acção de meias tintas das autoridades burguesas, que em consequência os vêm permitindo há longo tempo, desde que explodiram os primeiros petardos: Nada nos indica ainda que as autoridades burguesas se disponham a tomar enérgicas medidas contra tais actos, Por conseguinte, fica mais uma vez claro, que a burguesia é incapaz de garantir a segurança, a paz, o bem estar social e uma vida melhor para o Povo, apesar das promessas que faz e de toda a demagogia sobre o exercício da democracia.

1977-08-10 - Bandeira Vermelha Nº 082 - PCP(R)

EDITORIAL

Comité Central do PCP(R) veio clarificar substancialmente o panorama político nacional, em particular no que diz respeito à recente manobra do partido revisionista, à atitude revolucionária proletária face a ela e à situação difícil que o país atravessa.
Trata-se de um documento de elevado conteúdo revolucionário que faz desabar a cartada demagógica revisionista, põe a nu os seus alicerces oportunistas, denuncia os seus objectivos traiçoeiros de meros acordos com o poder, alerta para o seu projecto político reformista e anti-nacional.
Assume, por isso, particular importância a sua ampla divulgação entre a classe operária e os trabalhadores avançados. Exige-se, por isso, que ele sirva de base a um esforço sério de discussão com os trabalhadores revolucionários ainda iludidos pelo partido revisionista e com os trabalhadores socialistas.

quarta-feira, 9 de agosto de 2017

1972-08-00 - QUARTA FEIRA ÀS 17 HORAS NO TRIBUNAL PLENÁRIO DO PORTO (S. JOÃO NOVO), LEITURA DA SENTENÇA NO JULGAMENTO DOS SETE COLEGAS - CECAPP

QUARTA FEIRA ÀS 17 HORAS NO TRIBUNAL PLENÁRIO DO PORTO (S. JOÃO NOVO), LEITURA DA SENTENÇA NO JULGAMENTO DOS SETE COLEGAS

Com a leitura da sentença, termina na próxima quarta feira, dia 23 às 17h, no tribunal Plenário de S. João Novo, no Porto o julgamento dos sete colegas acusados pela DGS de terem “praticado actos que visavam a subversão da ordem pública".
Foi este o primeiro julgamento em Tribunal Plenário onde as declarações prestadas na DGS foram anuladas por não estar presente advogado.
Como testemunhas de acusação, compareceram um chefe de brigada e sete agentes da DGS. O chefe de brigada e um dos agentes - escrivão do processo - foram, quando prestavam depoimento, acusados pelos nossos colegas, como responsáveis directos de violências cometidas durante os interrogatórios, particularmente graves no caso do colega Mota Barbosa, que durante 180 horas foi impedido de dormir e intimidado com ameaças várias.

1977-08-09 - COLÓQUIO “AS LEIS DOS DESPEDIMENTOS” - Movimento Estudantil

COLÓQUIO
“AS LEIS DOS DESPEDIMENTOS”

CONVIDADOS
- docentes de Direito do Trabalho
- Dr. Marcelo Curto

Convocado pelos delegados de curso do 2º ano (noite)


3ª F. DIA 9, ÀS 21,30, ANF. 1 DA F.D.L.

1977-08-09 - A Forja Vermelha Nº 08 - UCRP(ml)

EDITORIAL
ABAIXO O OPORTUNISMO DA SUB-COMISSÃO PRÓ-SINDICAL

EMBORA JÁ PASSASSE ALGUM TEMPO, CONSIDERAMOS SER OPORTUNO TOMAR POSIÇÃO QUANTO AO COMUNICADO OPORTUNISTA DA SUB-COMISSÃO PRO-SINDICAL PROPÓSITO DA CONVOCATÓRIA PARA AS MANIFESTAÇÕES DE 22 DE JUNHO.
PODERÁ NÃO TER IMPORTÂNCIA COMO DIRÃO ALGUNS CAMARADAS, O QUE EM NOSSA OPINIÃO NÃO TÊM RAZÃO, VISTO SER NECESSÁRIO ESTARMOS ARMADOS DE UMA VIGILÂNCIA, PERANTE QUEM NOS QUEIRA USAR COMO TROPA DE CHOQUE PARA OBJECTIVOS POLÍTICOS ESTRANHOS A NÓS, E PREPARAREM-NOS PARA NOVOS 22 DE JUNHO. DEPOIS DE TANTO SILÊNCIO A SUB-COMISSÃO SOUBE “ERGUER” A SUA VOZ QUE JÁ NÃO OUVÍAMOS DESDE À MUITO, PARA "APELAR" À CLASSE DAS OGMA A COMPARECEREM EM MASSA NAS MANIFESTAÇÕES DE 22 DE JUNHO.

terça-feira, 8 de agosto de 2017

1977-08-00 - AOS TRABALHADORES RURAIS! - PCP(R)

PARTIDO COMUNISTA PORTUGUÊS (RECONSTRUÍDO)

AOS TRABALHADORES RURAIS!
EM DEFESA DA REFORMA AGRÁRIA EM LUTA POR UM GOVERNO DO 25 DE ABRIL DO POVO

   1. Mais uma vez o Partido Comunista Português (Reconstruído) se dirige aos trabalhadores do Alentejo para lhes dirigir um alerta: nos próximos meses vão travar-se duras batalhas em defesa da Reforma Agrária.
O governo soarista fez aprovar a lei Barreto, a lei da fome e do desemprego, aliando-se aos fascistas do PPD, à direita mais reaccionária e aos militares do 24 de Abril. O PCP(R), através do deputado da UDP, apresentou uma lei em defesa da Reforma Agrária que foi derrotada. Os trabalhadores tiram esta lição: os órgãos do poder burguês nunca poderão defender as conquistas revolucionárias dos trabalhadores.

1977-08-00 - BOLETIM DA COMISSÃO DA 7ª. ZONA DO C.L.L. Nº 01 - PCP


FESTA DO AVANTE 1977
BOLETIM DA COMISSÃO DA 7ª. ZONA DO C.L.L. Nº 01

Camaradas,
A FESTA DO "AVANTE" é a festa dos trabalhadores do Portugal novo nascido em Abril.
Por isso, camaradas, e porque somos o grande Partido dos trabalhadores queremos levar ao Jamor tudo aquilo que sentimos, que sente o povo português. Vamos levar ao Jamor o nosso Partido.
Vamos trabalhar sem descanso para que nos dias 9, 10 e 11 de Setembro esteja de pé, como símbolo da nossa vontade e do nosso esforço, a maior festa dos portugueses.
Muito há para fazer. Mas há-de ser feito.

segunda-feira, 7 de agosto de 2017

1977-08-07 - O DESPORTO E A CULTURA AO SERVIÇO DO POVO - Diversos

O DESPORTO E A CULTURA AO SERVIÇO DO POVO

GRUPO DESPORTIVO E CULTURAL DA CASA DO POVO DE FAMALICÃO

LISTA

PROGRAMA

1º RAZÕES DA CANDIDATURA.
2º O DESPORTO E A CULTURA AO SERVIÇO DO POVO.
3º ACTIVIDADES DESPORTIVAS:
I) O FUTEBOL.
II) OUTRAS MODALIDADES.
III) LUTAR PELO DESPORTO AMADOR.
4º ACTIVIDADES CULTURAIS.
5º CAMPANHA DOS 200 SÓCIOS.

1977-08-07 - Democracia CDS 76 Nº 20

EDITORIAL
O terceiro aniversário do CDS

Três anos passaram sobre a fundação do Partido do Centro Democrático Social. Três anos em que abundaram os momentos de sofrimento, mas que acabaram também por fornecer sobejos motivos de alegria.
A coragem, a firmeza, a linearidade, a coerência são sempre pagantes e o CDS que soube manter a cabeça levantada e a espinha direita, sem recorrer a qualquer subido «complexo de esquerda» que o «absolvesse» perante os «revolucionários», atravessou a tempestade sem abrir rombos no casco e pode hoje, com dignidade, espraiar-se serenamente pela bonança.

domingo, 6 de agosto de 2017

1972-08-00 - Guerra do Povo à Guerra Colonial Imperialista Nº 01 - CLAC O Horizonte é Vermelho


Para ver a totalidade do documento em PDF clik AQUI

1977-08-00 - LEVANTEMOS A LUTA IDEOLÓGICA DENTRO DO PCP(R) - PCP(R)

LEVANTEMOS A LUTA IDEOLÓGICA DENTRO DO PCP(R)

1. INTRODUÇÃO
Este documento surge como resultado de divergências que se vinham levantando em relação à actuação geral do Partido e também em relação aos organismos dirigentes desta região.  
Neste momento encontramo-nos demissionários por motivo da impossibilidade prática de luta ideológica dentro do Partido, de inexistência de democracia interna e das perseguições e afastamentos dos camaradas que têm posições divergentes daquelas do CR. Ao demitirmo-nos tivemos como objectivo lançar um alerta a todos os militantes para os graves problemas existentes na região e no Partido a nível nacional e levá-los a pensar sobre a situação que se vive no Partido.

1977-08-00 - Boletim Sindical Nº 02 - Sindicato Professores Zona Norte

EDITORIAL

De há muito têm os T.F.P. a percepção da variedade e complexidade dos problemas e aspectos de ordem de diversa que, em maior ou menor grau, atingem o sector e exigem, progressiva mas eficazmente, que se tomem adequadas medidas.
De há muito sentem a necessidade de um estatuto que defina com clareza os seus direitos e obrigações, de modo a que estes possam ser cabalmente exercidos e a que não haja margem para arbitrariedades.
Tal como sentem — nomeadamente todo o vasto conjunto constituído pelas categorias mais mal pagas — o direito a vencimentos que assegurem uma situação de maior desafogo; a formas de vínculo, bem definidas, que nos garantam segurança no emprego; à contratação colectiva, que virá a ser, mais cedo ou mais tarde, uma das nossas decisivas conquistas; ao usufruto, sem reservas, dos direitos de organização e actividade sindicais.

sábado, 5 de agosto de 2017

1972-08-05 - A REVISÃO DO C.C.T. - Sindicato dos Bancários do Porto

SINDICATO DOS BANCÁRIOS DO PORTO
Informação 6/72
Porto, 5 de Agosto de 1972

A REVISÃO DO C.C.T.

1. DISTRIBUIÇÃO DA PROPOSTA SINDICAL
Só agora, por insuperáveis dificuldades técnicas, é possível trazer à Classe a Proposta dos Sindicatos de revisão do Contrato Colectivo de Trabalho.
A Classe poderá verificar por este documento que houve a preocupação de reestruturar, aperfeiçoando, o C.C.T. vigente, de resto segundo o que determina a sua Cláusula 70ª.:
"...A denúncia (do presente contrato) não terá, porem, outro objectivo que não seja o de promover o aperfeiçoamento do regime estipulado, em concordância com o bom ajustamento dos interesses em causa.”

1977-08-05 - PROCESSO DE UM PROCESSO - 3 - UJCR

PROCESSO DE UM PROCESSO - 3
INTERVENÇÕES DE RUI GOMES NO TRIBUNAL

INTERVENÇÃO NA 1a SESSÃO DO TRIBUNAL
13 DE JULHO DE 1977
O Juiz auditor começou por dizer que Rui Gomes era acusado de 2 crimes — furto de armas de guerra e detenção das mesmas armas.
Juiz auditor: Esteve em Porto Brandão?
Rui Gomes: Nego com grande indignação que tenha algo a ver com a acusação.
(O Juiz auditor admoestou-o por falar alto e Rui Gomes alegou que era a sua voz normal.)
Juiz: Quer explicar ao Tribunal porquê e como apareceu ferido?

sexta-feira, 4 de agosto de 2017

1972-08-00 - O Grito do Povo Nº 06 - OCMLP

VIVA A JUSTA LUTA DO POVO PALESTINIANO

À volta da acção guerrilheira de "Setembro Negro" em Munique, o imperialismo e seus lacaios, desencadearam uma campanha histérica de propaganda contra a luta armada do povo palestiniano e a luta de libertação no mundo inteiro.
Em Portugal, os jornais, a Rádio e sobretudo a TV, não deixaram de mostrar mais uma vez, o seu papel de porcos esbirros do imperialismo.
Apenas dois programas de Radio (suspensos em seguida pela Radio Renascença); e um ou dois jornais, colocaram os problemas com um mínimo de seriedade.
Este jornal informa os trabalhadores portugueses leitores, de alguns aspectos da luta revolucionária de libertação do povo palestiniano.

1977-08-04 - Luta Popular Nº 555 - PCTP/MRPP

EDITORIAL
QUE SOLUÇÃO?

I
Acabava pachorrentamente a Assembleia da República o seu «labor» reaccionário contra o povo, em aparente ambiente de crise adiada para depois das férias, quando, por obra e graça de uma conferência de imprensa e de um discurso do dr. Barreirinhas Cunhal, «rebentou a crise»! Esta, a imagem que a imprensa burguesa procura dar dos recentes acontecimentos políticos, ao apontar como questão central para o exame da situação actual as medidas divulgadas pelo documento apresentado há dias pelo P«C»P. Grande fogacho é feito por todos os órgãos de «informação» da burguesia em torno deste assunto, como se algo de novo houvesse, como se este facto caísse inesperadamente do céu aos trambolhões numa situação de «paz e tranquilidade» sociais.

quinta-feira, 3 de agosto de 2017

1972-08-03 - morreu a MULHER de DANIEL CABRITA que se encontra preso no Forte de Peniche - Sindicato dos Bancários do Porto

SINDICATO DOS BANCÁRIOS DO PORTO
Informação 5/72
Porto, 3 de Agosto de 1972

morreu a MULHER de DANIEL CABRITA que se encontra preso no Forte de Peniche

OS SINDICATOS REQUEREM A SUA LIBERTAÇÃO IMEDIATA
Em face da notícia da morte de HELENA RITA, os Corpos Gerentes dos Sindicatos Bancários de Lisboa, Porto e Coimbra, expediram os seguintes telegramas:
"Exmos. Senhores
- Presidente da Republica
- Presidente do Conselho
- Ministro das Corporações
- Ministro do Interior
- Ministro da Justiça

1977-08-03 - AOS TRABALHADORES CIVIS DAS FORÇAS ARMADAS - Sindicatos

AOS TRABALHADORES CIVIS DAS FORÇAS ARMADAS

PORQUE APARECE O SUBSIDIO DE ALMOÇO DE 700$00?
O Subsidio de alimentação aparece porque depois do vergonhoso aumento dos 15% e quando os trabalhadores se preparavam para a luta a direcção do Sindicato assinou com o Governo um acordo de traição em que, a troco de dividendos políticos alheios aos interesses dos trabalhadores, se comprometia a impedir que estes lutassem. Foi assim que a direcção do Sindicato disse aos trabalhadores que em Junho veriam os seus vencimentos revistos. E foi assim que chegando a Junho se "esqueceram" e deixaram passar a revisão do orçamento. O Governo disse que não tinha dinheiro e a Direcção na Assembleia Geral aplaudiu, defendendo que os trabalhadores não devem lutar, mas esperar por Janeiro. Com isto quer-se dizer que tanto o Governo como a Direcção do Sindicato querem agora fazer passar "gato por lebre", ou seja, o Subsidio dos 700$00 pela revisão salarial que ambos prometeram para Junho de 77.

1977-08-03 - COMO ILUDIR A JUVENTUDE - FEML

Federação dos Estudantes Marxistas - Leninistas
Organização do PCTP/MRPP para a Juventude Comunista Estudantil

COMO ILUDIR A JUVENTUDE

COMUNICADO DO DEPARTAMENTO DOS TRABALHADORES-ESTUDANTES DA FEM-L SOBRE O CHAMADO ACAMPAMENTO DA JUVENTUDE

À GLORIOSA JUVENTUDE TRABALHADORA:
Sentem-se os social-fascistas com a sua política encurralada ante o cerco que o Povo em luta lhe move. Com efeito, numa altura em que a classe operária alertada pelas traições revisionistas ousou avançar com a sua solução, a solução operaria para a crise a que nos empurraram sucessivos governos provisórios, com destaque para o V de Vasco Gonçalves, o partido social-fascista - P"C"P" - através do Departamento da Juventude da União dos Sindicatos de Lisboa e Setúbal, promove um acampamento da juventude de 6 a 15 do corrente mês de Agosto perto de Sesimbra, esperançado que com este novo golpe consiga afastar a juventude das massas trabalhadoras dos grandes centros, onde então aí possam aplicar nas costas do Povo as suas soluções burguesas para a crise.

1977-08-03 - Bandeira Vermelha Nº 081 - PCP(R)

Editorial
PELA LIBERDADE! CONTRA A REPRESSÃO!
EM DEFESA DAS CONQUISTAS DE ABRIL

O crescente avanço da direita reaccionária no nosso país é um facto característico do actual panorama político. Materializa-se na liquidação jurídica das conquistas populares através das leis aprovadas na Assembleia da República, numa crescente intervenção militarista nos assuntos nacionais, na onda repressiva efectuada pelas polícias visando asfixiar e restringir as liberdades democráticas, no agravamento da ofensiva patronal contra o movimento operário e popular. Traduz a submissão crescente dos sectores burgueses reformistas no governo às exigências do grande capital e do imperialismo. Como previa a Resolução do II Congresso do nosso Partido, o governo soarista e os sectores sociais que representa, ao tentarem "pôr de pé a economia capitalista no quadro de um regime idêntico aos da Europa ocidental (...) acentuam a tendência para passar a uma política abertamente reaccionária ou mesmo fascizante".

quarta-feira, 2 de agosto de 2017

1972-08-00 - Luta Popular Nº 008 - MRPP

EDITORIAL
A TEMPESTADE REVOLUCIONARIA RONDA PORTUGAL.

A tempestade revolucionária ronda Portugal. A cada dia que passa são mais numerosas as massas que, não podendo por mais tempo suportar a opressão, a exploração, a guerra, a miséria, a doença, ousam levantar-se em luta contra a camarilha marcelista e todos os seus lacaios, agentes da burguesia exploradora odiada. Este facto, absolutamente decisivo para caracterizar a actual fase da luta do povo pela Paz, pelo Pão, pela Terra, pela Liberdade, pela Democracia e pela Independência Nacional, engrossa constantemente as fileiras da Revolução e isola progressivamente as da contra-revolução. A fase actual da luta pela Revolução Democrática Popular em Portugal, é, portanto, aquela em que o povo, com o proletariado à cabeça, vê as suas tropas aumentarem todos os dias, e em que a reacção, com a burguesia monopolista e colonialista à frente - e cuja retaguarda é fechada pelos revisionistas do PCP e restantes oportunistas que se dizem marxistas para mais eficazmente tentarem sabotar a Revolução, se vê cada vez mais isolada. Este processo é irreversível.

1977-08-00 - CONTRA AS REPROVAÇÕES MASSIVAS! - Movimento Estudantil

CONTRA AS REPROVAÇÕES MASSIVAS! TODOS ÀS REUNIÕES! APLIQUEMOS A PLATAFORMA DE LUTA!

AOS ESTUDANTES
AOS FAMILIARES
AO POVO EM GERAL

É no momento em que uma aguda crise abala toda a sociedade portuguesa, é no momento em que o Povo português vê o custo de vida subir como uma flecha disparada por um poderoso arco e que irá inevitavelmente cravar-se nas costas desse mesmo Povo, que os estudantes fazem os seus exames.
Estes exames preparados com objectivo de chumbar o maior número de estudantes possível tem características específicas que é bom que analisemos:

1977-08-00 - Por um Sindicato Forte e Democrático na Unidade de todos os Professores D - Sindicato Professores

Por um Sindicato Forte e Democrático na Unidade de todos os Professores D

- Defender a Democracia Sindical
- Reforçar as Estruturas Sindicais de Base

Os professores que apoiaram a lista D, candidata às recentes eleições para os corpos gerentes do nosso Sindicato, considerai» importante transmitir à classe a sua interpretação dos resultados eleitorais assim como as perspectivas de actuação sindical que esses resultados apontam e pretendemos transformar em propostas de trabalho unitário para defender a democracia sindical, reforçando as estruturas sindicais de base.

terça-feira, 1 de agosto de 2017

1977-08-01 - A CÂMARA E A P.S.P. QUEREM ESMAGAR A LIBERDADE! - PCP(R)/UDP

A CÂMARA E A P.S.P. QUEREM ESMAGAR A LIBERDADE!
O POVO NÃO DEIXARÁ!

OPERÁRIOS, TRABALHADORES, POVO DO PORTO:
- Detenção de jovens trabalhadores por anunciarem um acampamento da juventude;
- arranque pela P.S.P. da frontaria da sede da UDP de cartazes contra a lei Barreto e a repressão policial;
- detenções por inscrições murais contra medidas anti-populares do governo;
- prisão de estudantes e trabalhadores por denunciarem o bárbaro assassinato pela P.S.P. de Lisboa do jovem comunista LUÍS CARACOL;
- intimidação a vendedores do "Bandeira Vermelha" órgão central do PCP(R) e do jornal "Voz do Povo";

1977-08-01 - O Comunista Nº 45 - II Série - UCRP(ml)

EDITORIAL
Reuniu-se o C.C. do P.C. da China
Decisões de grande significado para o Movimento Comunista Internacional

A Agência Nova China informou que a terceira reunião plenária do Comité Central do Partido Comunista da China reunido aprovou três importantes decisões e decidiu convocar ainda para este ano, em data oportuna, o XI Congresso do Partido.
O CC do PCCH decidiu confirmar o camarada Hua Kuo Feng na Presidência do CC do Partido e na presidência da Comissão Militar do CC do Partido. O camarada Hua, indicado pelo próprio camarada Mao ainda em vida, tem-se revelado o dirigente clarividente do Partido Comunista da China e do povo chinês, sendo o digno sucessor do camarada Mao Tsé Tung. Importantes vitórias foram alcançadas pelo Partido e pelo povo chinês sob a sábia direcção do Presidente Hua. De que se destacam a denúncia e o desencadeamento de um movimento de massas contra o «Bando dos Quatro», a convocação das Conferências para aprender de Tatchat e Taktng e a construção em tempo record do mausoléu do camarada Mao. Também sob a sua direcção, o P.C. da China tem lutado pelo reforço do Movimento Comunista Internacional, e o Estado Chinês tem continuado a lutar incansavelmente pelo reforço da frente anti-imperialista e anti-hegemonista.

Arquivo