sexta-feira, 30 de junho de 2017

1972-06-30 - Enzima - FML - Movimento Estudantil

ENZIMA
boletim da pró-associação da FML
SUPLEMENTO INFORMATIVO 30/6/72

PELA REABERTURA INCONDICIONAL DA SUA ASSOCIAÇÃO OS ESTUDANTES DO TÉCNICO DECIDEM GREVE A EXAMES
Ontem em R.G.A. expressamente convocada para decidirem formas de luta a adoptar durante o período dos exames, cerca de 1500 estudantes do dando provas de ama UNIDADE, COMBATIVIDADE e FIRMEZA exemplares, decidiram por esmagadora maioria (1065 votos a favor, 78 contra e 65 abstenções) continuar a luta travada até aqui pela reabertura da Associação de Estudantes, decretando QUE AOS EXAMES.

1977-06-30 - Unidade Popular Nº 124 - PCP(ml)

Uma «vitória diplomática» dos novos czares

No final da visita de três dias que Brejnev efectuou a França, foi publicado um comunicado comum sobre a chamada política de «desanuviamento». As já estafadas considerações sobre «redução» das armas nucleares, a necessidade de desenvolver a «cooperação» e consolidar a «paz» entre os vários países europeus, tais foram as linhas mestras do «comunicado final» que ambos os presidentes assinaram antes da partida de Brejnev para Moscovo.
Um «êxito», afirmou o Presidente francês referindo-se à visita do novo Hitler a França! O «êxito» terá sido, quando muito, de Brejnev e do social-imperialismo pois o documento final apenas veio vincular o Presidente Giscard a posições comandadas do Kremlin.

1977-06-00 - ABANDONEMOS AS ILUSÕES E PREPAREMO-NOS PARA A LUTA - PCTP/MRPP

PARTIDO COMUNISTA DOS TRABALHADORES PORTUGUESES

ABANDONEMOS AS ILUSÕES E PREPAREMO-NOS PARA A LUTA

RESISTÊNCIA ACTIVA ÀS DESOCUPAÇÕES!

AOS TRABALHADORES RURAIS DA MARGEM ESQUERDA!
A TODO O POVO TRABALHADOR DE SERPA!
Mais uma vez, ao abrigo do famoso "direito de reserva”, o governo anti-popular do Dr. Mário Soares por intermédio do CRRA de Beja, pretende entregar 16 herdades da MARGEM ESQUERDA aos latifundiários, aqueles que sempre sugaram o sangue de todo o Povo trabalhador camponês.

1977-06-30 - Luta Popular Nº 550 - PCTP/MRPP

EDITORIAL
TRÊS SEMANAS

Se, na nossa sociedade, todas as crises políticas têm as mesmas causas profundas, se são a manifestação e o reflexo das mesmas contradições económicas básicas, nem por isso se segue que todas as crises políticas tenham a mesma forma, encerrem as mesmas peculiaridades ou se revistam do mesmo ritmo e da mesma intensidade.
No período que precedeu o 25 de Novembro, a experiência prática da luta mostrou a todos os trabalhadores que as diversas crises políticas sucessivas, tendo embora as suas particularidades conjunturais, se manifestavam com uma notável uniformidade, tanto sob o ponto de vista do conteúdo como inclusive da forma.

quinta-feira, 29 de junho de 2017

1977-06-29 - Improp - Suplemento - IV Série - Movimento Estudantil

neste número:

O funcionamento da escola nos seus múltiplos aspectos, todos os problemas com que neste momento se debate, foram alvo de discussão na reunião da Assembleia de Representantes de dia 22/6.
Pela importância destes assuntos, as propostas aí aprovadas, delineando os centros fundamentais da actividade do C. Directivo e da A. Representantes têm de ser do domínio de toda a escola. Não basta que estes órgãos definam a orientação geral da sua actividade, é também necessário uma ligação estreita entre eles e a população da escola, de modo a que se possa levar à prática, da forma mais correcta, as medidas que a situação exige para que a escola se mantenha em funcionamento.


Eis a razão deste IMPROP suplemento.

1977-06-29 - O Comboio Nº Esp. - UCRP(ml)

O Comboio
NÚMERO ESPECIAL 29-6-77
BOLETIM DA UCRP-ML NA CP

A NOSSA POSIÇÃO FACE AOS PROGRAMAS DAS LISTAS
No próximo dia 30 apresentam-se às umas para a eleição dos corpos gerentes do Sindicato dos Ferro viários do Centro, 4 Listas, cada qual com o seu programa e mais ou menos afecta ao seu partido; é sobre esses programas que nos iremos debruçar.
Sobre estas eleições e com vista a expulsar o social-fascismo da direcção do sindicato, os comunistas da U.C.R.P.(m-l) indicaram em devida altura o que segundo eles seria o justo caminho a seguir; o caminho da unidade e da luta contra o social-fascismo, contra as medidas anti-populares da burguesia monopolista no poder e em defesa das reivindicações económicas, políticas e sociais dos Ferroviários, e pelo reforço da frente anti-social-fascista no interior da CGTP-INTER.

1977-06-29 - SOBRE AS ELEIÇÕES PARA OS CORPOS GERENTES NO BIÉNIO 77/78 - Sindicatos

Sindicato dos Trabalhadores das Telecomunicações

SOBRE AS ELEIÇÕES PARA OS CORPOS GERENTES NO BIÉNIO 77/78
DIA 29 DE JUNHO DE 1977

LISTA B
UNIDADE - INTERVENÇÃO - TRABALHO

POR UM SINDICATO NA DEFESA INTRANSIGENTE DA CONSTITUIÇÃO DA REPÚBLICA, DOS ÓRGÃOS E DIREITOS DOS TRABALHADORES E DA LUTA CONTRA FASCIZAÇÃO NAS EMPRESAS
SINDICATO DOS TRABALHADORES DAS TELECOMUNICAÇÕES
Telefona 66 66 52

quarta-feira, 28 de junho de 2017

1972-06-28 - PELA REABERTURA INCONDICIONAL DAS AAEE DO TÉCNICO E DE ECONÓMICAS - Movimento Estudantil

PELA REABERTURA INCONDICIONAL DAS AAEE DO TÉCNICO E DE ECONÓMICAS

1. O SIGNIFICADO DE UMA LUTA
A hera que atravessamos é grave e caracteriza-se por uma situação complexa cuja compreensão cimentará a confiança nas nossas posições, na justeza da nossa luta, nas possibilidades em atingir os objectivos pelos quais nos batemos.
A política do Governo para com os estudantes é clara: liquidação definitiva das suas organizações democráticas enquanto baluartes de um movimente historicamente irreversível pela radical transformação de uma política de ensino contrária aos anseios progressistas da juventude estudantil e à emancipação do nosso povo. Se ontem a ofensiva do Governo, dirigindo-se sempre contra o M.A. no seu conjunto, não encontrava condições que lhe permitissem levar paulatinamente avante aquele seu objectivo, hoje encontra uma debilidade organizativa no nosso, seio, resultante de erros acumulados na nossa acção, que lhe abriu essas possibilidades. E assim o tentou.

1977-06-00 - BOLETIM DO DEP. DO LUTA POPULAR ORG. REG. DE LISBOA DA FEM-L Nº 4 - FEML

BOLETIM DO DEP. DO LUTA POPULAR ORG. REG. DE LISBOA DA FEM-L
JUNHO Nº 4

CAMPANHA NACIONAL PELA VENDA INTEGRAL DA EDIÇÃO
A Redacção do Luta Popular tomou a justa decisão de realizar uma campanha pela venda integral da edição do jornal, dias 16, 17, 18 e 19 de Junho que será nessa semana de 20 mil exemplares. Esta campanha tem como objectivo uma ampla difusão e propaganda do jornal.
Esta campanha e de extrema importância pois no momento em que se trava uma aguda luta de classes, num momento em que o Povo trava grandes lutas e se prepara ainda para maiores, o papel do órgão central e funda mental.
A burguesia tentará a todo o custo calar a nossa voz. O cerco económico aperta-se, os ataques redobram-se, são as condições na tipografia e o tribunal e as multas etc. Esta campanha tem de ser uma resposta firme e decidida de todo o Partido a esse ataque.

1977-06-28 - BIDAE Nº 02 - Magistérios Primários - Movimento Estudantil

EDITORIAL

Este é o nosso segundo número do Boletim Informativo da Direcção da Associação de Estudantes (BIDAE); prometemos que sairia regularmente e ele aqui está.
Como já foi dito, pretendemos que seja o elo de ligação quer entre o Movimento Associativo e Estudantil a nível nacional, quer entre a Direcção da Associação de Estudantes e os alunos desta escola. Nestas folhas, vão, portanto patentes as nossas preocupações como Direcção duma A.E. e como estudantes. Neste momento, em que muito, de importante se joga no Movimento Estudantil quer a nível das E.M.P. quer a nível de outros graus de ensino, todos os estudantes devem estar esclarecidos, estudar a fundo os problemas que lhes dizem respeito, para conscientemente tomar posição e lutar por objectivos bem precisos. Porque a luta para ser válida e frutuosa tem que ser consciente e adequada às condições de momento, assim como estar alicerçada na vontade forte de todos nós termos o ensino que desejamos e necessitamos, a vida digna que se impõe, a seres humanos que não querem tornar-se máquinas que executam ordens sem pensar.

terça-feira, 27 de junho de 2017

1977-06-27 - O Tubo Vermelho Nº 01 - PCP(ml)

O que é este jornal

Este jornal será o porta-voz do PCP(m-l) no trabalho de educação e organização dos trabalhadores da Facar, à luz do marxismo, do leninismo, do pensamento de Mao Zedong.
Este jornal, tendo em conta os problemas concretos dos trabalhadores da Facar, enquadrará a sua luta na luta mais geral do povo português pela salvaguarda da independência nacional, da democracia e pelo progresso social, contra o inimigo principal — o social-imperialismo russo e seus lacaios.

Este jornal defende a melhoria da qualidade de vida dos trabalhadores. Isso exige o combate aos maiores sabotadores da nossa economia — os sociais-fascistas — e que sejam tomadas medidas tendentes ao relançamento da economia do País, tendo em conta as necessidades fundamentais dos trabalhadores portugueses.

1977-06-27 - O Trólei Vermelho Nº 01 - PCP(ml)

O QUE É ESTE JORNAL

Este jornal será o porta-voz do Partido Comunista de Portugal (marxista-leninista) no trabalho de educação e organização dos trabalhadores dos Transportes Colectivos do Porto à luz do marxismo, do leninismo, do pensamento de Mao Zedong.
Este jornal defende a luta pelo socialismo científico, tal como existiu na União Soviética no tempo de Lenin e Stalin e existe hoje na China de Mao Zedong. Distingue-se assim dos jornais burgueses, quer dos que defendem o social-fascismo de Cunhal e Brejnev, quer dos que defendem a demagogia do «socialismo em liberdade» de «inspiração marxista (!)» à PS, a demagogia do «socialismo democrático» à PSD, ou o «humanismo personalista» à CDS.

1977-06-27 - O Comunista Nº 41 - II Série - UCRP(ml)

EDITORIAL
A ALTERNATIVA REVOLUCIONÁRIA ÀS ACÇÕES DA INTER CUNHALISTA

No dia 22, no Funchal, os verdadeiros defensores dos interesses dos trabalhadores promoveram uma manifestação e comício no Funchal, representando a alternativa justa, que aponta para a luta pela defesa das reivindicações mais sentidas dos trabalhadores e para o combate ao «pacto-social»-fascista, cuja negociação o Secretariado da Inter procurava pressionar, na mesma altura, por meio de acções que levou a cabo em várias localidades do país.
A manifestação, organizada pelo «Comité promotor do 1º de Maio Revolucionário», contou com a presença de mais de duas centenas de trabalhadores, que ostentavam em numerosos cartazes as palavras de ordem a que se subordinava:

1977-06-27 - CADERNO REIVINDICATIVO - Sindicatos

CADERNO REIVINDICATIVO
(PROPOSTAS PARA A ASSEMBLEIA  GERAL DO SINDICATO)

. CONTRA A LEI DE BASES - IMPONHAMOS O NOSSO CONTRATO COLECTIVO DE TRABALHO
. POR UMA REVISÃO SALARIAL JUSTA!
. PELA ACTUALIZAÇÃO DAS DIUTURNIDADES!
. PELO SUBSIDIO DE ALIMENTAÇÃO COM A MANUTENÇÃO DAS CANTINAS!
. UNAMO-SOS EM TORNO DE UMA PROPOSTA DE LUTA CONTRA AS TENTATIVAS DE AUMENTO DO HORÁRIO DE TRABALHO!
. REVOGAÇÃO DA LEGISLAÇÃO ESPECIAL

Lisboa, 27/6/77
LUTA! UNIDADE! VITÓRIA!

1977-06-27 - ELEIÇÕES PARA OS GRUPOS DIRECTIVOS - Sindicato P.Z.N.

ELEIÇÕES PARA OS GRUPOS DIRECTIVOS SINDICATO PROFESSORES ZONA NORTE

Esclarecimento sobre o processo de aceitação das candidaturas para os corpos directivos do Sindicato de Professores da Zona Norte.
Quanto ao processo de aceitação das diferentes candidaturas para as eleições dos corpos directivos do Sindicato dos Professores da Zona Norte pensamos ser oportuno tornar público que:
1. Defendendo a participação de todas as correntes sindicais na vida do Nosso Sindicato.
Pensamos mesmo que se deve utilizar o presente processo eleitoral para um debate franco dos problemas dos professores, que permita a formação duma consciência de classe, com vista a solução dos nossos problemas.

1977-06-27 - ELEIÇÕES PARA OS CORPOS DIRECTIVOS DO SINDICATO DE PROFESSORES - ZONA NORTE

ELEIÇÕES PARA OS CORPOS DIRECTIVOS DO SINDICATO DE PROFESSORES - ZONA NORTE

FOLHA INFORMATIVA n° 1
LISTA - C

UNIR A CLASSE
POR UM SINDICATO FORTE E REPRESENTATIVO
1. RAZÕES DA CANDIDATURA DA LISTA C
2. CONSTITUIÇÃO DA LISTA
3. OBJECTIVOS

1. RAZÕES DA CANDIDATURA DA LISTA C
- Perante a desmobilização dos professores face aos seus problemas profissionais, desmobilização essa que atinge não só as estruturas sindicais de base, mas também os Corpos Directivos do Sindicato dos Professores da Zona Norte (SPZN),

segunda-feira, 26 de junho de 2017

1977-06-00 - ER Boletim Nº 01

O QUE É E PARA QUE SERVE ESTE BOLETIM

Os militantes sem partido da Unidade Popular são um largo conjunto de militantes revolucionários que se identificaram com os princípios e as bases programáticas da campanha de OTELO e que, na sua maioria, militaram nos GDUP’s. À medida que estes se foram desagregando, voltaram a dispersar-se, reduzindo a sua acção às mais diversas for mas de trabalho de base.
Um núcleo formado no Congresso (documento dos 70) tentou organizar os que permaneceram no MUP, dentro das próprias estruturas do Movimento, o que acabou por se revelar quase totalmente ineficaz. Com a acentuação da degenerescência do MUP, esse núcleo, acompanhado por alguns outros camaradas, rompeu com o Movimento no dia 27 de Abril.

1977-05-26 - Tribunais fascistas não! Rui Gomes libertação! - Rui Gomes

Tribunais fascistas não!
Rui Gomes libertação!

BOLETIM INFORMATIVO DA COMISSÃO DE LUTA PELA LIBERTAÇÃO DE RUI GOMES 26-5-77 N°8

MARCADO JULGAMENTO PARA 13 DE JULHO! MAIS UMA VITÓRIA DA GREVE DA FOME DE RUI GOMES!
Confrontados com a grande jornada RUI GOMES e com o combativo movimento democrático que exige a sua libertação as autoridades militares foram obrigadas a recuar:
— Ao 10° dia de greve da fome formularam-lhe a nota de culpa e ao 25° foram obrigados a marcar-lhe o julgamento.
Aquilo que ao longo de 20 meses de prisão não fizeram, resolveram apressadamente em dias!

1977-06-00 - Pacto social acordo para amordaçar as aspirações dos trabalhadores - PCP(R)

Pacto social
acordo para amordaçar as aspirações dos trabalhadores

Ultimamente muito se fala em pacto social. O que é isso afinal?
O pacto social, seja qual for a forma que assuma, é um acordo entre o Governo e o movimento sindical com vista a pôr um travão às lutas que os trabalhadores de todos os sectores desenvolvem para a satisfação das suas aspirações. O objectivo do pacto social é possibilitar ao Governo uma acalmia social que favoreça a aceleração do processo de recuperação capitalista, satisfazendo assim as exigências do imperialismo, dos patrões da CIP e dos latifundiários da CAP. Essa acalmia social será porém fictícia: enquanto as organizações sindicais se comprometeriam a refrear as lutas dos trabalhadores, os Capitalistas, esses não fariam nenhuma acalmia, antes procurariam, mercê da garantia de passividade dos trabalhadores, impor rapidamente a recuperação das suas fabulosas taxas de lucro. Como consequência: uma ainda maior exploração e um maior agravamento das condições de vida dos trabalhadores.

1977-06-26 - RESOLUÇÃO Sobre as Jornadas Desportivas da Juventude VERÃO/77 - FEML

Federação dos Estudantes Marxistas - Leninistas
Organização do PCTP/MRPP para a Juventude Comunista Estudantil

RESOLUÇÃO
Sobre as Jornadas Desportivas da Juventude
VERÃO/77

Reunião do Comité Regional de Lisboa da FEM-L 26 do Junho de 1977

Com o início das férias a luta de classes não pára e como tal, grandes são as tarefas que ainda se nos colocam até ao início do próximo ano lectivo. E lutas bastante encarniçadas se irão travar ainda pela direcção do movimento de massas dos estudantes tanto no Ensino Secundário como no Ensino Superiora.

domingo, 25 de junho de 2017

1977-06-00 - América Latina Nº 01 - CALPAL

PLATAFORMA DO COMITÉ DE APOIO ÀS LUTAS DOS POVOS DA AMÉRICA LATINA

I - PREÂMBULO
Os povos da América Latina vivem sob regimes ditatoriais fascistas. A democracia e a liberdade não existem. Os direitos do Homem são constantemente violados. Estes regimes ditatoriais desrespeitam as suas próprias leis, já suficientemente repressivas. A soberania nacional é sacrificada e a Pátria entregue à exploração de monopólios estrangeiros.
As ditaduras fascistas, que negam as mais sentidas aspirações de democracia dos povos latino-americanos, estão ao serviço de minorias retrógradas, antidemocráticas e antipatrióticas. Estas ditaduras mantêm-se no poder graças ao uso da força e ao apoio do imperialismo norte-americano, que intervém de maneira flagrante na América Latina.

1977-06-00 - Posições Nº 2 - Movimento Estudantil

Apresentação do Número Dois

Uma nova revista é como um amor novo: uma aventura com tudo o que isso tem de exaltante, mas também de intemporal, de eterno. Um projecto é sempre necessariamente, o compromisso entre uma ideia e uma realidade, isto é um devaneio pretensioso. E tal coisa apenas poucos podem afirmar sem caírem no ridículo. O comum devaneio pretensioso é o estado de espírito dos que estão, por esta ou por aquela via, sob o aconchegante calor do pensamento dominante. Marginal quer então dizer; imagem da dominância no espelho da consciência fácil, da consciência (real no nosso mundo) que resolve os problemas através da definição de maiorias e minorias.

1977-06-25 - BOLETIM Nº 9 DO MOVIMENTO DE ADESÃO AO PCTP - FEML

Federação dos Estudantes Marxistas - Leninistas
Organização do PCTP/MRPP para a Juventude Comunista Estudantil

BOLETIM Nº 9 DO MOVIMENTO DE ADESÃO AO PCTP na Organização Regional de Lisboa da FEM-L
semana 19/6 a 25/6

A ESQUERDA DEMARCA-SE DA DIREITA NA APLICAÇÃO DAS DECISÕES!
Passados 15 dias do Colectivo de Quadros Dirigentes, podemos já fazer um balanço rápido da forma como estão a ser aplicadas as decisões lá tomadas.
a) TRIPLICAR AS ADESÕES
As células das escolas grandes não conseguiram triplicar o ritmo das adesões Notou-se um esforço da parte de algumas, nomeadamente da V. Beirão, mas que não tem significado de realce porque, na realidade, é apenas um arranque.

1977-06-25 - HOMENAGEM A BENTO DE JESUS CARAÇA - PCP

HOMENAGEM A BENTO DE JESUS CARAÇA

AOS TRABALHADORES DAS OGMA

A 25 de Junho de 1948, a cultura portuguesa e a resistência anti-fascista perdiam uma das suas maiores figuras: BENTO DE JESUS CARAÇA.
Matemático, professor, investigador, pedagogo, ensaísta, impulsionador da cultura popular, mestre da juventude, Bento de Jesus Ca­raça marcou, com a sua obra e a sua actividade, a cultura nacional, constituindo um exemplo para o desenvolvimento da consciência cívica e democrática de muitos jovens e cidadãos.

sábado, 24 de junho de 2017

1977-06-24 - Improp Nº 03 - III Série - Movimento Estudantil - AEFCL

VISITA DE ESTUDO À LISNAVE
À semelhança do ano passado e por iniciativa da Comissão de curso, realizaremos uma visita de tudo à Lisnave (dias 4, 5, 6, 11 e 12 de Julho), no quadro das iniciativas culturais a que se propôs a Comissão de Curso. Pensamos que para além do aspecto técnico-cultural que revestirá esta visita é importante que não percamos de vista o enquadramento desta empresa no plano de produção industrial do nosso país, tendo em conta fundamentalmente as origens desta empresa e consequentemente as percentagens de capital aí investidas, para que possamos avaliar da independência económica ou não deste sector da produção, que é o fabrico de navios de grande tonelagem. Por outro lado é necessário que saibamos detectar os casos flagrantes de protecção no trabalho, isto é as situações precárias de higiene e segurança as quais implicam muitas vezes que os trabalhadores ao fim de largos anos de trabalho ganhem doenças pulmonares que os levam a um fim de vida extremamente difícil. Para além destas doenças, há também as incapacidades parciais de visão (por vezes totais) as mortes que derivam das quedas de grandes alturas, etc.

1977-06-24 - COMEMORAÇÕES DO l.º DE JULHO - AAP-C

COMEMORAÇÕES DO l.º DE JULHO
56° ANIVERSÁRIO DA FUNDAÇÃO DO PARTIDO COMUNISTA DA CHINA

DIA 1 — VOZ DO OPERÁRIO
ASSOCIAÇÃO DA AMIZADE PORTUGAL-CHINA

O nascimento do Partido Comunista da China, há 56 anos atrás, marcou o começo da fase superior da luta milenária travada pelo Povo chinês contra a escravidão, o feudalismo e a dominação imperialista.
As lutas que, até aí, não beneficiavam da direcção do Partido Comunista, passaram a tê-la, e essa foi a razão fundamental da Vitória da Revolução Chinesa. Não só durante o período da libertação até à tomada do Poder político, como já no período da ditadura do proletariado, em que as lutas de classe tomara e tomam por vezes formas encarniçadas, a existência do Partido Comunista revelou-se fundamental para levar a Revolução até ao fim.

1977-04-24 - JORNAL de LUTA DOS TRABALHADORES DA PREVIDÊNCIA N° 2

JORNAL de LUTA DOS TRABALHADORES DA PREVIDÊNCIA - N° 2

linha síndical
LUTA UNIDADE VITÓRIA

OS ÚLTIMOS COMUNICADOS DA CSN OU COMO ENTRETER OS TRABALHADORES ATÉ ÀS FÉRIAS…

Tem vindo a CSN a emitir nas últimas semanas, vários comunicados "informando" os trabalhadores da Previdência, "momento a momento" do processo da revisão do CCTV. Como de facto, as informações contidas nesses comunicados se revelam contraditórias e pouco esclarecedoras em muitos aspectos, parecendo querer ocultar aos trabalhadores aquilo que na verdade se passa, consideramos ser da maior importância debruçarmo-nos sobre a análise dos últimos comunicados, e no seu seguimento alertar os trabalhadores para o facto da revisão do seu CCTV não estar de forma alguma garantida.

1977-06-24 - folha CDS N.° 91 - CDS

folha CDS N.° 91
24.VI.77

O CDS e o mundo
VITÓRIA CENTRISTA EM ESPANHA
1. O CENTRO DEMOCRÁTICO SOCIAL FELICITA OS AMIGOS DO CENTRO DEMOCRÁTICO ESPANHOL. Por ocasião da recente vitória dos centristas e democratas cristãos espanhóis Freitas.do Amaral enviou telegramas de felicitações a Adolfo Suarez e a Alvarez de Miranda (do Partido Popular Democrata Cristão, membro do Centro Democrático). O CDS congratulou-se igualmente com a vitória dos partidos regionais nossos correlegionários em Espanha que, como o Partido Nacionalista Basco e a Democracia Cristã da Catalunha, ambos membros da Equipa Democrata Cristã do Estado Espanhol, conquistaram posições de destaque.

sexta-feira, 23 de junho de 2017

1977-06-23 - PROCESSO DE UM PROCESSO - 2 - Rui Gomes

PROCESSO DE UM PROCESSO - 2

A FEDERAÇÃO INTERNACIONAL DOS DIREITOS DO HOMEM PRONUNCIA-SE PELA IMEDIATA LIBERTAÇÃO DE RUI GOMES E CONDENA AS ARBITRARIEDADES COMETIDAS

FEDERAÇÃO INTERNACIONAL DOS DIREITOS DO HOMEM RELATÓRIO DA MISSÃO EFECTUADA EM LISBOA (Portugal) de 16 a 20 de Abril de 1977
Por Louis JOINET - MAGISTRADO (França)

PARTE I
ANÁLISE DA SITUAÇÃO JURÍDICA DE RUI GOMES

1977-06-23 - Unidade Popular Nº 123 - PCP(ml)

Derrota da democracia em eleições sindicais

A derrota das forças democráticas nas eleições dos sindicatos do Comércio e dos Professores de Lisboa tem um significado político tal que se impõe uma reflexão especial por parte dos respectivos associados e pelos trabalhadores e empregados sindicalizados em geral.
Ambas as direcções cessantes tinham sido eleitas por larga margem de votos em relação as listas sociais-fascistas concorrentes. Já depois de muitos meses de exercício, a direcção do Comércio conseguiu uma vitória esmagadora sobre os sociais-fascistas ao referendar a saída do Sindicato da Intersindical e a entrada na «Carta Aberta». A grande maioria dos associados era e ainda é anti-social-fascista.

1977-06-23 - Democracia 76 Nº 18 - CDS

EDITORIAL
O centrismo aqui ao lado

A esmagadora vitória da União do Centro Democrático de Adolfo Suarez nas últimas eleições espanholas, foi acolhida com grande e compreensível satisfação no seio do nosso Partido, A Espanha não só está a ser um exemplo de como se pede construir a democracia em paz, realçando pelo centraste a função perturbadora de sabotagem permanente que os comunistas têm desempenhado entre nós, como é um exemplo também pela escolha efectuada pelo povo espanhol que dá grande realce às forças do centrismo e da moderação.

1977-06-23 - PLANO DE ACÇÃO COMITÉ LOCAL DA ZONA ORIENTAL - FEML

Federação dos Estudantes Marxistas – Leninista
Organização do PCTP/MRPP para a Juventude Comunista Estudantil

PLANO DE ACÇÃO
COMITÉ LOCAL DA ZONA ORIENTAL
JUNHO – OUTUBRO

I - INTRODUÇÃO
O plano que a seguir irei expor, é um plano que se deve inserir na actual etapa da Ofensiva Politica do Partido - a direcção do movimento de massas, definida no II Plenum do Comité Central, do PCTP.
É um plano que deve sintetizar todas as vitórias que o nosso Comité Local alcançou, e aprender com os erros, deve ser o fiel aplicador da política e das resoluções saídas do Iº Colectivo de Quadros Dirigentes da O.R. de Lisboa.

1977-06-23 - BOLETIM DO DEP. DO LUTA POPULAR Nº 8 - FEML

BOLETIM DO DEP. DO LUTA POPULAR Nº 8 da Organização Regional de Lisboa da FEM-L
23/6/77

APRENDER COM OS EXEMPLOS AVANÇADOS
Terminou a Campanha pela Venda Integral da Edição e a nossa Organização vendeu 1478, ficando a 272 jornais do objectivo que nos propusemos atingir, podemos concluir que a maioria das células e dos quadros compreenderam a importância da Campanha e se esforçou para cumprir os objectivos.
A maioria das nossas células mostraram-se logo de início dispostas a cumprir o objectivo e venderam nos dois primeiros dias mais de 10% dos jornais, atingir, rapidamente o objectivo.

1977-06-23 - Luta Popular Nº 0549 - PCTP/MRPP

PONTO DE MIRA
UM RACHADO COMPROVADO

«No passado dia 28 de Maio, Rui Gomes entrou em greve da fome ilimitada. Protesto decidido e vigoroso, a sua exigência, que é a exigência de todos os antifascistas, só pode ser uma; libertação imediata.»
Foi nestes termos precisos e com estes sublinhados solenes que o «Bandeira Negra», órgão centrai do bando neo-revisionista U«DP»/P«C»P(R) se referiu à luta de «libertação ou morte» desencadeada pelo seu correlegionário preso em Caxias por ordem do COPCON e por mandato assinado do sr. Otelo Saraiva de Carvalho — coisa que os discípulos de Francisco Bufo Rodrigues fingem ignorar.

quinta-feira, 22 de junho de 2017

1977-06-22 - A Forja Vermelha Nº Esp - UCRP(ml)

PROLETÁRIOS DE TODOS OS PAÍSES, NAÇÕES E POVOS OPRIMIDOS. UNI-VOS

A Forja Vermelha
Número Especial
Preço $50
Data: 22/6/77

NÃO ÀS MANIFESTAÇÕES DA INTER NO DIA 22

Como já sabemos a INTERSINDICAL está a organizar por todo o país grandes manifestações para o dia 22.
Sob o signo da luta contra as medidas anti-operárias do governo, tais como o aumento do custo de vida, o decreto dos 15%, o desemprego e os despedimentos.

1977-06-22 - APOIEMOS A JUSTA LUTA DOS TRABALHADORES DA LIMPEZA LUTA PELO PÃO! - PCTP/MRPP

Partido Comunista dos Trabalhadores Portugueses (PCTP/MRPP)

AO POVO DE LISBOA

APOIEMOS A JUSTA LUTA DOS TRABALHADORES DA LIMPEZA LUTA PELO PÃO!

Os 1180 trabalhadores cantoneiros em luta são dos mais explorados da CML e do nosso País. Os seus ordenados actuais são de 6.400$00 - Letra S - e ao reivindicarem a letra O, reivindicam um aumento de 1.400$00, ou seja um ordenho de 7.800$00, reivindicação antiga dos cantoneiros que vem desde 1975 e que o MAI sempre recusou. A sua justa luta e reconhecida como correcta pela Direcção Sindical dos trabalhadores da CML ao contrário do que o governo pretende fazer crer ao Povo através da sua campanha demagógica na radio, televisão e jornais que o Povo custeia.

1977-06-00 - A Sementeira Nº 02

A mais de cem anos de distância da criação da Internacional, os trabalhadores de todo o mundo ainda não viram chegar a hora da sua emancipação.
Por toda a parte, os trabalhadores continuam amarrados ao jugo do Capital e à tutela do Estado. Por toda a parte, a liberdade continua a ser una palavra espezinhada pelos governantes, militares, polícias e políticos de todas as cores e de todos os feitios.
O patrão que nos explora, o governante que dita os imposto, o polícia que nos reprime, o político que nos pede calma, prometendo mundos e fundos através do voto, todos eles tem um interesse comum, que é o de perpetuarem o actual estado de coisas, denodo a manterem a sua situação de privilegiados.

1977-06-00 - Seara Nova Nº 1580

Editorial

  1. A lei da Assembleia da República sobre a delimitação entre o sector público e o sector privado é uma peça importante e grave de uma política que tem vindo a ser definida como de recuperação capitalista. Os sectores básicos, vedados à iniciativa privada, são reduzidos em relação à situação de facto até agora, deixando de ser vedados sectores que foram completa ou quase completamente nacionalizados; é permitida a criação de instituições parabancárias e financeiras privadas; é concedido ao Governo o poder discricionário de decidir sobre questões importantes para o futuro de sectores nacionalizados; abre-se a possibilidade de entrega ao grande capital da gestão e exploração de cerca de 2/3 das empresas nacionalizadas, sem que as garantias dadas possam ser consideradas suficientes. O processo de formação desta lei é aliás sintomático e exemplar. A proposta apresentada pelo Governo à Assembleia era de qualquer modo menos gravemente afron­tosa da Constituição e dos direitos dos trabalhadores e dos interesses da economia nacional (por ex.. não se incluía a possibilidade de criação das referidas instituições parabancárias e eram mais os sectores vedados à iniciativa privada), A proposta finalmente aprovada nasce de acordos-cedências feitas de um modo tão claro ao PSD (esse partido foi de certo modo o maior defensor ir proposta na Assembleia, reclamando aliás desde já os juros do apoio envenenado concedido-imposto ao Governo). A discussão na especialidade, em comissão, foi também feita velozmente, também para que mais rápida e discretamente se consumasse o feito. O CDS queria mais ainda, (e absteve-se benévola e tacticamente), deitando contas ao que a seguir venha, ao que a seguir pela mesma via lhe vá facilitando os objectivos.

quarta-feira, 21 de junho de 2017

1977-06-21 - RUI GOMES NÃO CEDE, LIBERDADE OU MORTE! - Rui Gomes

21/6/77
RUI GOMES NÃO CEDE, LIBERDADE OU MORTE!
25º DIA DE GREVE DE FOME

No Comício realizado na Voz do Operário, Lopes Cardoso do PS, Acácio Barreiros da UDP, Kalidás Barreto do Secretariado da CGTP-IN, e outras individualidades mostraram claramente que o "caso Rui Gomes" e um desafio das forças reaccionárias e fascistas acoitadas principalmente no aparelho militar e judicial aos democratas e antifascistas, ao Povo Trabalhador em geral.
Rui Gomes, em mensagem lida no Comício, no início da sessão, afirmava que a nota de culpa era apenas um rebuçado. Frisava especialmente que "a luta pela minha libertação imediata continua! Liberdade ou morte!"

1977-06-21 - Bandeira Vermelha Nº 075 - PCP(R)

EDITORIAL
Pelo Pão, pela Terra e a Liberdade

  1. Não seria exagerado afirmar que o panorama político nacional sofreu substanciais alterações desde que o Presidente da República discursou, a 25 de Abril, na Assembleia da República.
Nessa altura, e nas semanas que se lhe seguiram, um espectro pairava, ameaçador, no futuro imediato da vida nacional. Depois da enorme escalada da direita e dos monopólios, os partidos fascistas PPD e CDS ameaçavam sob a tutela do Presidente, assenhorear-se completamente das rédeas governamentais.
Como na altura referimos, muitos eram os que recuavam, atemorizados e vacilantes. Sucediam-se as mais diversas e ridículas interpretações da situação política. Os intelectualoides da nossa praça, inchados pela ignorância e a cobardia que os caracterizam, esforçavam-se por descobrir nos discursos dos governantes uma saída de esquerda para o impasse que os atormentava. Os revisionistas, esses saltitavam de posição em posição, redobrando as juras de fidelidade ao Presidente da República e à ordem instituída. A melhor forma de combater a ameaça da convergência fascista, encontraram-na eles no redobrar dos ataques ao nosso Partido e aos "esquerdistas" imaginários. A luta de massas, diziam, poderia ser inoportuna e fazer perigar as instituições democráticas.

1977-06-21 - ELEIÇÕES NO NOSSO SINDICATO VÃO SERVIR A CLASSE? - Sindicato P.Z.N.

ELEIÇÕES NO NOSSO SINDICATO
VÃO SERVIR A CLASSE?

A poucos dias das eleições para os órgãos dirigentes do S.P.Z.N. os professores interrogam-se:
O que se pode esperar destas eleições?
Vão ou não servir os nossos interesses?
Com objectividade, com a noção exacta das responsabilidades que cabem a todos os professores sindicalistas, sem distorcer a realidade e a complexidade deste processo eleitoral, vamos procurar aprofundar as questões anteriores, dando assim início a um debate vivo e actuante no seio da classe sobre todas as questões que hoje se colocam com acuidade.
A situação que envolve este processo eleitoral.

1977-06-21 - MANIFESTO À POPULAÇÃO - Sindicato Ferroviários

MANIFESTO À POPULAÇÃO

AOS TRABALHADORES FERROVIÁRIOS

TRABALHADORES
O Conselho de Gerência da C.P., baseando-se num despacho conjunto dos Ministérios dos Transportes e do Trabalho, recusa-se a iniciar as negociações do A.C.T. dos Ferroviários, embora a data prevista fosse 15 de Maio.
O objectivo deste despacho conjunto e PROTELAR O INICIO DAS NEGOCIAÇÕES, e atirar trabalhadores contra trabalhadores, provando assim que a política de recuperação capitalista praticada pelo Governo não serve os interesses dos trabalhadores ferroviários, dos restantes trabalhadores, e por isso do povo português.
Nesta ofensiva contra os ferroviários, o Governo publicou ainda uma portaria proibindo os aumentos salariais com o pretexto de que os trabalhadores ganham muito dinheiro em horas extraordinárias, trabalho nocturno e deslocações.

1977-06-21 - A PROPÓSITO DAS CALÚNIAS DO MINISTRO GONELHA - Sindicatos CGTP-IN

a CGTP Esclarece...
A PROPÓSITO DAS CALÚNIAS DO MINISTRO GONELHA

COMUNICADO À IMPRENSA Nº 95
O inqualificável ataque feito pelo Governo, através do Ministro Gonelha, utilizando a rádio e a televisão que tem negado às organizações representativas dos trabalhadores, as manifestações convocadas pela CGTP-IN para amanhã, justifica que a CGTP-INTERSINDICAL NACIONAL esclareça a opinião pública e os trabalhadores sobre o que tem sido o seu diálogo com o Governo e quais os resultados práticos a que nele chegou.
1 - Em 11/2/77 solicitou o Secretariado da CGTP-IN no cumprimento de uma resolução aprovada no Congresso de Todos os Sindicatos, uma entrevista com o Primeiro Ministro não sentido de dar a conhecer os problemas dos trabalhadores bem como a sua intenção de os resolver pela via do diálogo.

terça-feira, 20 de junho de 2017

1972-06-20 - Binómio - I Série - Associações de Estudantes - AEIST

Binómio
por um ensino popular
20/6/72

DUAS POSIÇÕES
LUTAR PELA REABERTURA DA ASSOCIAÇÃO OU LUTAR PELA "CONQUISTA" DA DIRECÇÃO

Saiu ontem um comunicado intitulado "Os estudantes do Técnico vencem as dificuldades que encontram para reabrir a Associação. O problema da direcção do movimento" do grupo de colaboradores "Para a Unidade do MA", o mesmo que se apresentava como Lista A candidata às eleições para a Direcção da Associação.
Este comunicado (em anexo) é um conjunto de mentiras descaradas e da mais pura demagogia.

1977-06-20 - AS MANIFESTAÇÕES DA INTER DE 22 DE JUNHO SÃO UMA BURLA - UCRP(ml)

AS MANIFESTAÇÕES DA INTER DE 22 DE JUNHO SÃO UMA BURLA

LUTAR CONTRA A CARESTIA DE VIDA, SIM! PELO «PACTO-SOCIAL» FASCISTA, NÃO!

A Inter-Sindical está a organizar por todo o país grandes manifestações para o dia 22.
O motivo apresentado é a luta contra a carestia de vida, o decreto dos 15%, leis imperativas, o congelamento da contratação colectiva, o desemprego e despedimentos, a reforma agrária, as nacionalizações e as empresas intervencionadas.
Motivo de facto: negociação do «pacto-social» fascista.

Arquivo