quarta-feira, 20 de setembro de 2017

1977-09-00 - PROGRAMA LISTA A - Comissão de Trabalhadores da LISNAVE

PROGRAMA LISTA - A

ELEIÇÕES PARA O CGT 1977/1978

LUTA — UNIDADE — VITÓRIA

LISTA PARA O C.G.T. 1977/78
AGOSTINHO JACINTO DE GOUVEIA — N.º 26 812 — Serralheiro Mecânico, Mecânica de Bordo
VITORINO JOSÉ DOS SANTOS — N.º 30 492 — Técnico de Prevenção e Acidentes, Serviço de Prevenção e Acidentes
JOAQUIM DO ROSÁRIO SANTINHOS — N.º 25 535 — Torneiro Mecânico, Oficina de Mecânica — Rocha
CUSTÓDIO JOSÉ PALMINHA CALÇÃO — N.º 23 093 — Preparador de Trabalho, Preparação — DNC

1977-09-20 - ML Informação Nº 11 - Série I - PCP-ml

A MORAL DO ALEGRE
O Alegre, esquecendo o bom tratamento que a firma Piteira & Alegre recebeu como «resistente» antifascista em Argel, permitiu-se ir à Televisão proibir actividades «conspiratórias» contra o governo fascista de Luanda. Contra o poder fantoche que é sustentado pela força dos tanques e aviões russos e mercenários cubanos ao seu serviço.
Essa tirada do Alegre seria revoltante se não fosse, antes de tudo, cómica. Cómica, senhor pretendente a novo dono da vontade dos povos! Fique sabendo que, ao abrigo da Constituição ou clandestinamente, como já se fez, o povo português, assim como o povo angolano e de outros países, lutará com todos os meios ao seu dispor contra o social-imperialismo russo e seus lacaios fascistas, contra o hegemonismo, pela libertação dos povos. Contra todos os ditadorzinhos e candidatos a ditadorzinhos como o sr. Alegre.

1977-09-00 - REVISÃO DO C.C.T.V. DA PREVIDÊNCIA UM BALANÇO NECESSÁRIO - PCTP/MRPP

REVISÃO DO C.C.T.V. DA PREVIDÊNCIA
UM BALANÇO NECESSÁRIO

A ACTUAL SITUAÇÃO DA REVISÃO DO CCTV

A situação que neste momento se depara aos trabalhadores da Previdência, de verem o seu Contrato Colectivo substituído por uma portaria especial para o Sector, impõe que se proceda a um balanço de todos estes meses de luta, dos erros cometidos e das lições a retirar, de modo a que se possa encontrar uma saída correcta e vitoriosa.
De facto, e graças às "facilidades" concedidas pela CSN e pelas direcções sindicais, o S.E.S.S. encontra reunidas as condições para impor "democraticamente" aos trabalhadores, uma portaria especial de regulamentação de trabalho, que de forma alguma respeitara os direitos adquiridos e que faz ressuscitar sob novas vestes o antigo estatuto fascista. Assim, e por via de despacho de 8/9/77, e mantido até há bem pouco tempo no desconhecimento dos trabalhadores pela CSN, o Secretário de Estado determina a constituição de um grupo de trabalho para a elaboração da referida portaria, grupo esse integrado pelos seguintes elementos: 1 representante da S.E. do Orçamento; 1 representante da S.E, do Trabalho; 3 representantes da S.E. da Administração Interna; 3 representantes da S.E. da Segurança Social, um dos quais presidira e 8 representantes dos Sindicatos.

terça-feira, 19 de setembro de 2017

1972-09-19 - Binómio - I Série - Movimento Estudantil - AE IST

Binómio
Suplemento Informativo
19-9-72

A REPRESSÃO SOBRE OS ESTUDANTES EM MOÇAMBIQUE
O encerramento da AAM constitui o mais recente passo de uma política repressiva que se vem exercendo desde já algum tempo sobre a Associação dos Estudantes da U.L.M., que, se tem centrado essencialmente na limitação, à liberdade de informação pela qual os estudantes vinham desde há muito a lutar através de algumas das suas secções: S.I.P.E. (secção de informação, propaganda e estatística); C.E.M. (Centro de Estudas de Moçambique); Rádio RADIO; CINEMA; BIBLIOTECA
Dado que em Moçambique toda e qualquer espécie de informação está sobre rígido e apertadíssimo controle das autoridades, um trabalho da natureza do que as secções da AAM vinham a desenvolver, revestia-se de extraordinária importância, ainda que se limitasse à Universidade o seu maior campo de acção.

1977-09-19 - Europeu Nº 01

Editorial
Ao leitor desconhecido…

É com uma carta aberta que resolvemos falar-te, leitor. A ti que ainda não sabes quem somos, que não sabemos ainda quem és. A ti para quem quisemos, não obstante, pôr de pé este jornal.
Queremos pôr de pé um jornal de ambos, teu e nosso. Como soubermos e como tu próprio nos ensinarás se quiseres. Confiamos em que quererás, leitor anónimo.
Onde vivemos, um jornal é sempre um produto, uma mercadoria. Que se vende e que se compra. Que tem porém de resistir à tentação constante de tudo fazer para vender mais por qualquer meio. Nós vamos resistir. Até ao fim. Não vamos pois enganar-te, leitor, ou encher-te de mimos e de vícios apenas para que nos compres. Preferiríamos fechar. Preferimos desagradar-te a mentir-te.

segunda-feira, 18 de setembro de 2017

1977-09-00 - Informação democrática Nº 1 set 77 - PCP

Vieira de Leiria
Informação democrática Nº 1 set 77

PARECE INCRÍVEL… MAS É VERDADE
A "fina flor" da reacção nas boas graças de um governo que se diz dos trabalhadores! De braços abertos a tudo o que lhes “cheire" a reacção e traição aos interesses das classes trabalhadoras; o governo da China "Popular" apresta-se para acarinhar uma delegação representativa da convergênCIA reaccionária: Casqueiro (CAP) Amaro da Costa (CDS), Barbosa de Melo (PPD), Jaime Gama (PS) Pires Veloso, Jaime Neves, Tomás Rosa, e um Nazi Alemão, vão de abalada até aquele país a onde os espera uma "carinhosa" recepção por parte da "camarilha revisionista neo-nazi" que, actualmente, oprime e reprime, o povo chinês!

1977-09-18 - LEVANTEMO-NOS EM LUTA CONTRA A RECUPERAÇÃO CAPITALISTA E AS FORÇAS NEGRAS DO FASCISMO - PCP(R)

LEVANTEMO-NOS EM LUTA CONTRA A RECUPERAÇÃO CAPITALISTA E AS FORÇAS NEGRAS DO FASCISMO

Camaradas:
A reacção está cada vez mais a levantar a cabeça no nosso país. O imperialismo por intermédio do Fundo Monetário Internacional dita as suas leis para conceder "empréstimos".
O governo obedece e vai aplicando docilmente tudo o que o imperialismo exige.
O patronato e as administrações das empresas tentam fazer aplicar estas medidas reaccionárias.
É assim que as forças negras do fascismo representadas pelo PSD e CDS tentam consolidar posições e esmagar as conquistas de Abril com vistas a aumentar sempre mais a taxa de lucro à custa de quem tudo produz.

Arquivo