Translate

sexta-feira, 19 de maio de 2017

1977-05-19 - CAMARADAS: - Movimento Estudantil

CAMARADAS:
A prisão de quatro estudantes universitários e de quatro operários que distribuíam comunicados convocando os trabalhadores para uma manifestação no dia 1º de MAIO no cinturão industrial do ABC paulista serviu de estopim para as grandes movimentações estudantis jamais vistas desde 1968. Os estudantes das principais cidades do país saíram para as ruas exigindo a libertação dos presos do 1º de Maio. Em S. Paulo, Rio, Belo Horizonte, Curitiba podia-se ler à cabeça das manifestações a exigência de “AMNISTIA AMPLA E IRRESTRITA", "FIM AS TORTURAS E PERSEGUIÇÕES", "LIBERDADE IMEDIATA PARA OS COMPANHEIROS PRESOS" e " PELAS LIBERDADES DEMOCRÁTICAS”. Em S. Paulo mais de 10.000 estudantes gritavam estas palavras de ordem unitárias, recebendo o apoio da população que resiste a uma ditadura que cumpre o seu ano de azar: 13, desde o golpe militar de Abril de 1964 que derrubou o governo populista de João Goulart.
Não faltaram nas manifestações fortes aparatos policiais e forças do exército que derramaram bombas de gás lacrimogéneo sobre os estudantes, porém isto e as provocações não foram suficientes para impedir que as reivindicações saíssem das Universidades e ganhassem as ruas do Brasil. Apesar da proibição e do forte aparato militar os estudantes brasileiros conseguiram realizar uma grande jornada de luta pela restauração das liberdades democráticas e pela amnistia ampla e irrestrita aos presos e perseguidos políticos.
Hoje, dia 19, está marcada una Greve Geral em todas as Universidades brasileiras no prosseguimento das reivindicações populares. Entretanto, as forças repressivas da ditadura invadem as universidades e prendem estudantes numa tentativa desesperada de fazer calar as reivindicações democráticas.
Recentemente um grupo de 54 militares regressados na sua maioria dos E.U.A. entregou um manifesto ao ditador Geisel exigindo a volta dos militares aos quartéis e a demissão do ministro da Fazenda, o que não foi aceite pela ditadura. Os militares que ocupam o poder se digladiam de acordo com os interesses de classe das fracções burguesas em contradição. O imperialismo busca remodelar a máscara da ditadura militar exigindo o "respeito pelos direitos humanos", no entanto, as multinacionais norte-americanas continuam explorando o povo brasileiro e buscando melhores formas de perpetuar esta exploração. A oposição consentida (MDB) pressionada pelo movimento operário e popular que se revitaliza e pelos elementos progressistas no seu interno, toma posições mais duras face ao governo Geisel. Entretanto a ditadura mantém presos centenas de brasileiros e reprime o movimento estudantil, as reivindicações operárias e o movimento camponês.
Companheiros! As vitórias alcançadas no sentido das movimentações estudantis ainda estão longe de serem concretizadas. Há que apoiar a luta pelas liberdades do povo brasileiro. Há que expressar nossa firme solidariedade para com o movimento popular brasileiro, no sentido de sua autonomia, pela liberdade de reunião, manifestação, organização e imprensa livre, pe­lo fim do congelamento salarial, no sentido de sua organização forte e combativa. As reivindicações pelas liberdades democráticas do povo brasileiro são condição importante para o fortalecimento do proletariado no sentido de sua luta pela Revolução Popular brasileira.

PELAS LIBERDADES DEMOCRÁTICAS PARA O POVO BRASILEIRO!
PELA AMNISTIA AMPLA E IRRESTRITA AOS PRESOS POLÍTICOS!
PELA REVOLUÇÃO POPULAR BRASILEIRA!

Comissões estudantis de apoio as lutas do povo brasileiro.
19/05/77

Sem comentários:

Enviar um comentário