Translate

quarta-feira, 31 de dezembro de 2014

1974-12-31- A Classe Operária Nº Esp - I Série - UC(ml)

PROLETÁRIOS, POVOS E NAÇÕES OPRIMIDAS DE TODO O MUNDO UNI-VOS!

JORNAL Nº ESPECIAL CENTRAL U.C. (m-l)
31 Dezembro de 1974

OS FASCISTAS PREPARAM O GOLPE, CAMARADAS:
vigilância e acção anti-fascista!

CAMARADAS TRABALHADORES:
EIS, DE NOVO, "A CLASSE OPERÁRIA", VOZ CLANDESTINA DE COMUNISTAS MARXISTAS-LENINISTAS PORTUGUESES, A ALERTAR-VOS CONTRA A TRAMÓIA QUE OS FASCISTAS PREPARAM FEBRILMENTE EM SEGREDO.

1974-12-31 - Voz do Povo Nº 022 - UDP

editorial
Donde virá a solução?

Esteve recentemente em discussão no Conselho de Ministros, o plano económico de emergência. À volta desse diploma, foi criada uma grande expectativa pelos partidos da coligação governamental. Cada partido tinha a sua solução, tinha o seu plano de emergência. Para salvar o quê? Para salvar o capitalismo da crise com que se debate em Portugal, embora a crise não seja mal do capitalismo da nossa terra. Trata-se de uma crise mundial, a mostrar mais uma vez que o sistema capitalista é um sistema podre.
* * *
Há a tendência para estes planos serem apresentados como medidas populares. Segundo Melo Antunes a finalidade do Plano é fazer com que este país saia do estado desastroso em que o encontrámos no dia 25 de Abril e em que ainda continua, para passar a ser um autêntico plano de reconstrução nacional. Para salvar a burguesia no seu conjunto, alguns burgueses podem ter de ser sacrificados, mas mesmo esses são poupados ao máximo (nacionalizações só em ultimo caso). Numa sociedade em que há exploradores e explorados as medidas de salvação nacional são sempre para proveito da classe dominante — a dos exploradores.
* * *

1974-11-31 - MRPP - A JUNTA E O GOVERNO PREPARAM-SE PARA ASSASSINAR O SOLDADO ANTI-FASCISTA ETELVINO DE JESUS!

A JUNTA E O GOVERNO PREPARAM-SE PARA ASSASSINAR O SOLDADO ANTI-FASCISTA ETELVINO DE JESUS!

O soldado anti-fascista Etelvino de Jesus continua preso na cadeia da Trafaria em virtude de ter participado na manifestação anti-fascista de 4 de Novembro, contra o comício do partido fascista “CDS”. O camarada Etelvino está em greve de fome há 14 dias e encontra-se desde sábado em estado de coma e à beira da morte. São-lhe proibidas todas as visitas mesmo as do advogado e da família. Ao mesmo tempo os fascistas e pides são libertados pela junta e pelo Governo.
CAMARADAS DEMOCRATAS E ANTI-FASCÍSTAS! Exijamos a imediata libertação do soldado anti-fascista Etelvino de Jesus. Exijamos a imediata libertação de todos os anti-fascistas presos. Exijamos o julgamento popular e a execução pública dos pides e dos responsáveis fascistas.

TODOS AO ROSSIO, DIA 31, às 13.30
MORTE AO FASCISMO! O POVO VENCERÁ!
LIBERTAÇÃO IMEDIATA DO SOLDADO ANTI-FASCISTA ETELVINO!

TODOS À MANIFESTAÇÃO PARA A LIBERTAÇÃO IMEDIATA DOS SOLDADOS ANTI-FASCISTAS PRESOS!


Rossio as 18h 31 DIA 31 3ª FEIRA

1974-12-31 - Cooperativa Livrope - BALANÇO em 31 de DEZEMBRO de 1974


Para ver a totalidade do documento em PDF clik AQUI

1974-12-31 - Libertemos o soldado Etelvino de Jesus! - AFAP

Libertemos o soldado Etelvino de Jesus!

TODOS A MANIFESTAÇÃO pela libertação imediata dos sodados anti-fascistas presos  dia 31 de dez, 3ª feira, às 18.30, ROSSIO

O soldado anti-fascista Etelvino de Jesus continua preso na cadeia da Trafaria por ter participado na manifestação anti-fascista do dia 4 de Novembro, contra o comício do partido fascista "CDS". Etelvino de Jesus está em greve de fome há 14 dias e, desde sábado, está era estado de coma, à beira da morte.
A inteira responsabilidade desta situação, cabe à Junta e ao Governo, os quais demonstram claramente a sua intenção de colaborar com os fascistas e exploradores do povo, ao mesmo tempo que reprimem os anti-fascistas, os democratas, e todos aqueles que se levantam centra a situação de exploração, miséria, fome e opressão em que o povo vive.

1974-12-31 - O POVO LIBERTARÁ OS ANTI-FASCISTAS PRESOS! - AFAP

O POVO LIBERTARÁ OS ANTI-FASCISTAS PRESOS!

CAMARADAS:
Neste momento encontram-se presos nas cadeias fascistas da Junta e do Provisório vários camaradas anti-fascistas.
Como todo o povo sabe o camarada soldado anti-fascista Etelvino que está em greve de fome desde o dia 17 de Dezembro encontra-se neste momento em estado de coma.

terça-feira, 30 de dezembro de 2014

1974-12-30 - TODOS À MANIFESTAÇÃO PELA LIBERTAÇÃO IMEDIATA DOS SOLDADOS ANTI-FASCISTAS PRESOS! - RPAC

TODOS À MANIFESTAÇÃO PELA LIBERTAÇÃO IMEDIATA DOS SOLDADOS ANTI-FASCISTAS PRESOS! 
DIA 31 - TERÇA-FEIRA - 18:30 – ROSSIO

O soldado anti-fascista Etelvino de Jesus, preso às ordens do anti-popular COPCON e presentemente no Forte da Trafaria, trava uma luta de morte pela sua libertação, mantendo-se firme e inabalável como uma rocha na greve de fome que iniciou em 17 de Dezembro (há 14 dias portanto) ate à liberdade ou morte.
Enquanto os pides e os fascistas, dos poucos que ainda se encontram sob prisão, continuam a ser soltos, como ainda aconteceu há poucos dias com mais de uma dezena deles, a Junta, o Governo Provisório, o MFA e o COPCON continuam a manter presos três soldados anti-fascistas, entre os quais o soldado Etelvino de Jesus que tem sido sujeito a um regime prisional tão vil e miserável que só pode ser comparado ao tratamento que a pide dava aos combatentes anti-fascistas do povo.

1974-12-30 - Esquerda Socialista Nº 11 - MES

POR UM AMPLO MOVIMENTO DE MASSAS!
1º CONGRESSO 21-22 Dezembro 1974

O Congresso constou de duas partes. Na primeira, estritamente reservada a militantes, debateram-se questões que são fundamentais para uma organização que se reclama de uma prática revolucionária consequente.
Assim, feita a análise da situação política actual e da luta de classes, o congresso debruçou-se sobre os objectivos estratégicos do M.E.S.: O Socialismo e o Comunismo, reafirmando-se, nomeadamente, que só um poderoso movimento de massas pode impor avanços irreversíveis no sentido do Socialismo e impedir que sejam os trabalhadores a custear a reconversão da economia capitalista.
Foram também discutidas as tarefas que a curto prazo se deparam ao movimento, tendo-se nomeadamente definido a posição face às eleições.

1974-12-00 - Seara Nova Nº 1550

SEARA NOVA ONTEM E HOJE AO SERVIÇO DA DEMOCRACIA

A Seara Nova, fundada em 1921, foi das instituições democráticas que primeiro denunciaram o golpe militar de 28 de Maio de 1926. Foi também das raras que o fascismo não conseguiu fazer desaparecer e a quem o 25 de Abril encontrou no seu posto de luta: alguns seus colaboradores próximos, que cumpriam o serviço militar, estavam naturalmente integrados no MFA, membros da Redacção e dos corpos gerentes encontravam-se detidos em Caxias, cinco processos por edições de livros considerados subversivos pela PIDE/DGS já tinham dado entrada no Tribunal Plenário.
É que a Seara Nova não se limitara a resistir passivamente ao fascismo. A sua Revista e os livros que editou foram vozes quanto possível livres. Vozes de esperança e de reflexão, das poucas que falavam do nosso país.

1974-12-00 - Ribatejo na Luta Nº 05

A TERRA A QUEM A TRABALHA!

NOTAS SOBRE O PROJECTO DE LEI DE ARRENDAMENTO AGRÍCOLA

Alguma coisa tem de mudar para que tudo fique na mesma.
Este é o espírito dos políticos burgueses e dos reformistas para enganarem os trabalhadores e continuarem a viver à sua custa. Sempre que há alguma crise em qualquer campo da vida social, logo surgem os políticos da burguesia a tentar pôr remendos e a dizer que o problema foi resolvido, mas os seus remendos deixam tudo na mesma.
Vem isto a propósito do projecto da lei sobre o arrendamento agrícola que esteve em discussão no mês passado. O regime de aluguer de terras herdado do fascismo, ao qual estão sujeitas mais de um terço das explorações agrícolas, provocava o descontentamento nos camponeses.

domingo, 28 de dezembro de 2014

1974-12-28 - O POVO NÃO PERDOARÁ AOS COMUNISTAS SE A REVOLUÇÃO OS APANHAR NA CAMA! - MRPP

LUTEMOS PELA MOBILIZAÇÃO DE TODAS AS FORÇAS PARA A FUNDAÇÃO DO PARTIDO!

"O POVO NÃO PERDOARÁ AOS COMUNISTAS SE A REVOLUÇÃO OS APANHAR NA CAMA!"

Comissão Organizadora do Comício do M.R.P.P. em 23-12-74 em Olhão.
Este documento destina-se como base de estudo a todos os camaradas, simpatizantes e activistas.
“A linha do nosso partido e justa, marxista-leninista, mas ao longo da aplicação dessa linha, não apenas algumas pessoas simples, mas ate mesmo certos quadros, não a compreendem correctamente, como deve ser, e cometem erros na sua materialização e na maneira de pô-la em prática.

1974-12-28 - Comício em Aveiro - MRPP

MOVIMENTO REORGANIZATIVO DO PARTIDO DO PROLETARIADO

Comício em Aveiro Dia 28 às 21.30 h no Ginásio do Liceu 

A Classe Operária e a Questão das Eleições à Assembleia Constituinte
Ao agudizarem-se as contradições entre as duas classes fundamentais — o proletariado e a burguesia — cada organização ou partido se apressa a apresentar o seu programa, e em torno dele unir a classe ou estratos de classe de que é o representante político. A crise crescente da sociedade capitalista portuguesa impõe que se definam claramente os dois campos antagónicos existentes — de um lado as forças da reacção, dos monopólios, do imperialismo, dos latifundiários e dos roceiros, do outro, os operários, camponeses e demais estratos da sociedade aspirando a uma sociedade nova, sem miséria, fome, sem exploração e opressão da grande maioria por uma minoria.

sábado, 27 de dezembro de 2014

1974-12-27 - Liberdade Nº 07

CENA POLÍTICA PORTUGUESA EM DEBATE

O PROGRAMA DA POLÍTICA ECONÓMICA E SOCIAL

Já referimos em números anteriores, do Liberdade, mormente no último, o grande dilema subadjacente às orientações propostas, tomadas ou a tomar com o “Programa de Política Económica e Social”, o dito “Plano de Emergência”. Dilema esse proveniente de centradas sobre os plano se debaterem duas distintas configurações da sociedade portuguesa do amanhã, uma, a socialista, outra a capitalista, malgrado os seus maiores ou menores graus de ortodoxia ou revisionismo e a sua hipotética convergência — mas a que prazo? e até lá? — na política real e concreta duma sociedade industrial.

1974-12-27 - Forças Armadas - RELATÓRIO ESPECIAL DE INFORMAÇÕES Nº.3 ASSUNTO: ACTIVIDADES POLÍTICAS CLANDESTINAS NO SEIO DAS FORÇAS ARMADAS

CONFIDENCIAL

EXEMPLAR Nº. 008
EMGFA 2ª. DIV
PALÁCIO DA AJUDA
27DEZ74
MN 04

RELATÓRIO ESPECIAL DE INFORMAÇÕES Nº. 3
ASSUNTO: ACTIVIDADES POLÍTICAS CLANDESTINAS NO SEIO DAS FORÇAS ARMADAS

1. GENERALIDADES
Dos movimentos até agora referenciados por comunicados públicos o de maior importância e capacidade e mobilização é “RPA-C” a. - "Resistência popular anti-colonial" organização ligada ao MRPP e que publica "RESISTÊNCIA"

1974-12-27 - 3ª Reunião Nacional - PCP

PARTIDO COMUNISTA PORTUGUÊS
Comissão Central de Organização

3ª Reunião Nacional — 27 de Dezembro de 1974
Ao aproximar-se o fim do ano pôde realizar-se uma análise do trabalho de organização desenvolvido nos oito meses que nos separam do 25 de Abril, fazer um novo balanço de organização correspondente ao finai de 1974 e comparar os seus resultados com os da 2.ª Reunião Nacional de 7 de Outubro último.
Interessa divulgar as principais experiências e as conclusões gerais a que se chegou agora e chamar, mais uma vez, a atenção para a importância da discussão das questões de organização em todo o Partido.

A - UM PARTIDO DE MASSAS: SUAS CARACTERÍSTICAS

1974-12-27 - CONSTRUIR UMA NOVA POLÍTICA ECONÓMICA - PCP


CONSTRUIR UM NOVA POLÍTICA ECONÓMICA

"A democracia em Portugal não se pode construir com o capital monopolistas e com os latifundiários mas contra eles", disse Álvaro Cunhal no comício da Amadora. E nessas palavras se realça o antagonismo principal da sociedade portuguesa na hora actual e se aponta a direcção fundamental em que se impõe ordenar a nova vida do Pais.
É a opção que se coloca aos portugueses para sair da situação critica gerada por 48 anos de regime fascista e colonial - a forma de emergência opção que e, saída do VII Congresso do P.C.P.
A via anti-monopolista na banca, na Industria, na agricultura e na adopção de uma politica de preços e salários não e uma magicação diabólica dos comunistas portugueses para lesar os grandes detentores do capital - e a única saída para uma situação difícil, que a desenfreada exploração das classes trabalhadoras originou em exclusivo beneficio de um punhado de privilegiados. Una situação a que e imperativo pôr-se cobro antes que se precipite no caos para onde a querem empurrar os saudosistas do antigo regime.

sexta-feira, 26 de dezembro de 2014

1974-12-26 - LONGA VIDA, MUITO LONA VIDA, AO CAMARADA MAO TSÉ-TUNG - Yenan


1974-12-26 - Luta Popular Nº 040 - MRPP


Editorial
SER ATACADO PELO INIMIGO NÃO É UMA COISA MÁ MAS SIM UMA COISA BOA!

1. Um ataque de uma certa envergadura tem vindo a ser desencadeado pela burguesia e todos os seus destacamentos de lacaios, dentro e fora do aparelho de estado, contra as massas populares e a sua cabeça, o MRPP.
Na sua sanha antipopular os reaccionários recorrem duma forma conjugada e duma forma inteiramente planeada, a todos os tipos de manobras e expedientes contra-revolucionários. As prisões pelo COPCON de antifascistas — dos quais o soldado Etelvino continua preso mantendo firmemente unia greve da fome há 10 dias pela sua libertação — sucedem-se ataques terroristas contra reuniões de massas por bandos de rufiões armados do M“J”T/UE“C”, os apelos histéricos de um russo branco à repressão fascista sobre os revolucionários e as multas dos coronéis-censores sobre o “LUTA POPULAR’*. Papel relevante, e sintomático da cobardia impotente dos seus autores, têm desempenhado nesta campanha o lançamento das mais torpes calúnias e mentiras por parte dos revisionistas contra o MRPP e os seus militantes, calúnias e mentiras de que caninamente a imprensa burguesa se apressa a fazer eco.

1974-12-26 - Democracia 74 Nº 02 - CDS

EDITORIAL
RECENSEAMENTO

Começaram as operações de recenseamento eleitoral. Durante 20 dias deverão recensear-se mais de 5,5 milhões de portugueses. A tarefa parece difícil. Mas é Imprescindível que, mesmo à custa da dilatação do prazo, se dê exacto cumprimento ao espírito da lei eleitoral, que determina a obrigatoriedade do recenseamento.
Todos os militantes e simpatizantes do CDS, assim como todos os portugueses, devem empenhar-se, decididamente, num amplo esforço, numa ampla mobilização, com vista a alcançar-se o objectivo de um recenseamento eleitoral maciço.
Pois está em causa a definição das regras do jogo político em que Portugal deseja mover-se. Até 25 de Abril de 1975 - como se afirma no Programa do MFA — deverá estar eleita uma Assembleia Nacional Constituinte, através da qual o Povo português irá estabelecer as bases de um regime democrático e pluri-partidário; através da qual o Povo português estabelecerá a fórmula que consagre a pureza dos princípios do 25 de Abril, conferindo às Forças Armadas, nas futuras instituições, o lugar a que elas têm direito.

1974-12-00 - Partido Cristão Social Democrata


1974-12-26 - GRANDES COMEMORAÇÕES DO ANIVERSÁRIO DO PRESIDENTE MAO TSÉTUNG - AAP-C

GRANDES COMEMORAÇÕES DO ANIVERSÁRIO DO PRESIDENTE MAO TSÉTUNG

17 HORAS: EXPOSIÇÃO "UMA FAÍSCA PODE INCENDIAR TODA A PRADARIA"
ÀS 21.30 HORAS: PROJECÇÃO DUM FILME CHINÊS SOBRE A GUERRA DE LIBERTAÇÃO
6ª F 26 DEZ PAV. DESPORTOS
ASSOCIAÇÃO DA AMIZADE PORTUGAL-CHINA

Comemora-se no próximo dia 26 de Dezembro o 82º aniversário do Presidente Mao Tsé-Tung, grande dirigente do Povo chinês e da República Popular da China.
Hoje, o Povo chinês que constitui uma quarta parte da humanidade, vive já no 26º ano da construção, da sua Pátria socialista, tendo de há muito deixado para trás a sombria opressão e exploração feudal e imperialista que durante séculos foram uma pesada carga sobre as suas costas. Integrando-se na impetuosa corrente da luta dos Povos oprimidos pela Liberdade, pela Democracia e pelo Socialismo, o Povo chinês pôs-se de pé e, conduzido pelo Presidente Mao Tsé-Tung à cabeça do glorioso Partido Comunista da China, mudou completamente a vida e a face do seu grande país.

1974-12-00 - Amizade Portugal-China Nº 03

CELEBREMOS CONDIGNAMENTE O 26 DEZEMBRO!

Com o retomar da sua já grande actividade, na sua nova sede, inaugurada recentemente, a A.A.P.-C. deu um novo passo em frente na prossecução dos justos objectivos que desde a sua fundação, em 16 de Maio de 1974, se propôs alcançar — trazer junto do povo português, por todos os meios e em todos os locais, o testemunho da gloriosa caminhada do heróico povo chinês para a Paz, a Justiça, a Liberdade, a Democracia e o Progresso.
Alguma coisa foi, entretanto, feita — as exposições itinerantes da Associação, acompanhadas de colóquios e discussões colectivas, percorreram inúmeros pontos do país, bastantes delegações regionais e núcleos de apoio à A.A.P.-C. nasceram e se desenvolveram, o número de sócios tem vindo a aumentar progressivamente (vai presentemente em cerca de 3.000), em suma, as realizações levadas à prática pela Associação suscitaram e suscitam um crescente apoio e carinho por parte das massas populares.

1974-12-00 - O Jovem Militante Nº 01 - FJCP(ml) -

O QUE É O «JOVEM MILITANTE»?

Para que a federação das Juventudes Comunistas de Portugal (m-l) seja solidamente construída, para que ela se edifique e fortaleça, tem de funcionar segundo os princípios leninistas do centralismo democrático, disciplina de ferro, crítica e autocrítica, cumprimento dos prazos, pontualidade, controle, etc.
Para que isso seja possível, ela tem de formar os seus militantes, tem de forjar autênticos revolucionários.
Os militantes precisam de estar armados de forma a que saibam resolver prontamente os problemas de organização e propaganda que encontram no seu trabalho diário.
Os militantes precisam de se armar de uma forte moral comunista que os oriente na luta contra os defeitos da educação burguesa, na luta contra as influências de uma sociedade, que em nada contribui para aumentar o potencial das qualidades que se encontram no homem.

quinta-feira, 25 de dezembro de 2014

1974-12-25 - Abel Manta


1974-12-00 - «NÓS NÃO SOMOS MENDIGOS DA LIBERDADE» - PAIGC

«NÓS NÃO SOMOS MENDIGOS DA LIBERDADE»

Estávamos em 12 de Dezembro de 1962. Um dia que não se apresentava diferente dos outros para os veteranos das Nações Unidas: discursos, debates, votações de resoluções. A 17ª sessão da Assembleia Geral que chegava ao seu fim, foi por certo particularmente comovente, movimentada, explosiva em alguns momentos. Primeiro, a admissão da Argélia, cuja independência e soberania foram assim formalmente consagradas. Depois, o discurso memorável de Sekou Touré em sessão plenária sobre a descolonização. Enfim, a crise dramática dos "mísseis soviéticos em Cuba" que ameaçaram por um momento o mundo duma conflagração geral. A tensão foi de seguida dissipada e os diplomatas, altos funcionários internacionais e jornalistas preparavam-se já para o encerramento da sessão.

1974-12-25 - Longa, muito longa vida ao camarada MAO TSÉTUNG! - MRPP

Longa, muito longa vida ao camarada MAO TSÉTUNG!

CAMARADAS:
Comemora-se no próximo dia 26 o 81º aniversário do camarada MAO TSÉTUNG.
É iluminado pelo vivo exemplo do camarada MAO TSÉTUNG, que nos ensina que "Para fazer a revolução necessitamos de um Partido revolucionário, e que sem esse Partido fundado na teoria revolucionária Marxista-leninista é impossível dirigir a classe operária e as grandes massas do povo à vitória sobre o imperialismo e os seus lacaios", que o Movimento Reorganizativo do Partido do Proletariado (MRPP), aplicando estes ensinamentos, aplicando a teoria revolucionaria, o Marxismo-leninismo realidade concreta da revolução em Portugal, prossegue na grande luta pela fundação do verdadeiro Partido Comunista Marxista-leninista-maoista. Um Partido de tipo novo, um Partido que unindo à classe operária o campesinato e as amplas massas do povo, conduza estes à Revolução democrática e Popular, feita pelo povo em armas, pelo exército popular dos operários e camponeses, que implante na nossa pátria um Governo Popular onde o povo tenha finalmente o PÃO, a PAZ, a TERRA, a LIBERDADE, a DEMOCRACIA, e a INDEPENDÊNCIA NACIONAL, e que defenderá através da Ditadura Democrática e Popular, que consiste na mais ampla democracia para os explorados e a mais feroz ditadura sobre os exploradores.

quarta-feira, 24 de dezembro de 2014

1974-12-24 - Movimento Nº 07 - Boletim do MFA

Editorial
AS FORÇAS ARMADAS E A NAÇÃO

Seja qual for a motivação oferecida por todos aqueles que tentam interpretar o 25 de Abril, o certo é que, em exemplo quase único no mundo, as Forças Armadas portuguesas realizaram nessa data memorável um golpe militar de sentido progressista e popular. E apesar de todos os esforços desenvolvidos por aqueles que desejavam um 25 de Abril de cariz conservador, o 28 de Setembro veio demonstrar como a vocação maioritária dos militares portugueses se centrava na defesa rigorosa do sentido democrático e progressista da sua revolução.
Tal sinfonia entre as Forças Armadas e o povo não pode ser feita apenas em momentos de crise, quando as conquistas democráticas de um povo estão em perigo. Precisa de ser desenvolvida e aprofundada no dia a dia, pela vinculação activa dos militares ao seu povo, pela sua identificação permanente com os anseios e problemas desse povo. O que implica um entendimento novo do papel das Forças Armadas no conjunto da Nação.

1974-12-00 - O Fuso Nº 02

NA TINTURARIA PORTUGALIA
A LUTA CONTINUA

"O Fuso" foi à Tinturaria Portugália ouvir alguns dos trabalhadores em luta. Soubemos, através do que escreveram, que:
Apresentamos em Julho um CADERNO REIVINDICATIVO tendo o PATRÃO aceitado parte dele e adiado a sua resposta em relação à parte mais importante do CADERNO que dizia respeito às REIVINDICAÇÕES SALARIAIS que exigiam um SALÁRIO MÍNIMO de 4500$00.
Quarta-feira dia 13 de Novembro realizou-se um plenário no qual o PATRÃO afirmou que não podia proceder a qualquer aumento. Face a esta posição decidimos dar ao PATRÃO um ÚLTIMO PRAZO até 2.ª Feira ao meio-dia, findo o qual entraremos em greve. Foi feita uma peritagem pelo SINDICATO que provou haver possibilidade de tal aumento.

1974-12-00 - A Junta e o Governo impedem o regresso dos emigrantes! - MRPP

A Junta e o Governo impedem o regresso dos emigrantes!

As camarilhas fascistas arrancaram dos nossos campos e das nossas cidades centenas de milhares de jovens e de trabalhadores para com eles abastecerem a seu bel proveito dois talhos de carne ao mesmo tempo; o da guerra e o da emigração. Só em 1973 o tráfico de carne humana para a emigração rendeu à burguesia portuguesa, em remessas, a soma de 25.569.000 contos, Ao mesmo tempo que exportava para França e outros países imperialistas centenas de milhares de operários e camponeses e adquirindo assim chorudos lucros, a burguesia portuguesa fazia importar para Portugal vários milhares de trabalhadores africanos ao preço de miseráveis salários de fome e de algumas barracas em bairros de lata. 

terça-feira, 23 de dezembro de 2014

1974-12-23 - Voz do Povo Nº 021 - UDP

contra o fascismo, pela democracia popular
PARA QUE SERVEM OS ARQUIVOS DA PIDE

Depois do golpe anti-fascista de 25 de Abril, o mais natural seria que tais arquivos servissem para incriminar a Pide, a Cia, os ministros e os capitalistas que se serviam dessas polícias. Após essa incriminação, os ficheiros com informações sobre anti-fascistas (ou mesmo sobre quase todos os portugueses) deveriam ser destruídos.
Pois, ouvimos às vezes alguns ingénuos doutores falarem dos arquivos como relíquia, como objecto de valor histórico, etc., etc., que deveriam ser conservados. Ora guardar os arquivos significa pura e simplesmente permitir à burguesia dotar rapidamente uma polícia política de todos os elementos necessários para a repressão dos revolucionários.
Existem também listas com os elementos da ANP e da Legião. Dessas não é dado conhecimento ao povo para que este exerça a sua vigilância revolucionária em relação aos fascistas, vias os elementos do Partido Nacionalista (agora soltos, imagine-se!) tinham listas dos legionários!

1974-12-23 - Jornal da Greve Nº 38 - EFACEC

Natal: Enquanto houver exploração não pode haver igualdade.

Porquê um artigo sobre o Nata1?
Em primeiro lugar porque julgamos necessário pôr a descoberto um culto, que a burguesia tenta manter como um instrumento cuja finalidade consiste em defender a exploração, narcotizando-a alasse operária. Em segundo lugar porque sabemos bem qual tem sido o papel da religião e de toda a espécie de organizações religiosas, como instrumento de reacção burguesas.
Pois bem camarada, para combater a exploração do homem pelo homem, para acabar com um sistema que permite que um homem se aproveite do trabalho e do esforço de outro homem, para acumular riquezas e viver no luxo recheado de carros, iates e jóias teremos que possuir no espírito aberto e analisar objectivamente as realidades do mundo.

1974-12-23 - Fronteira Nº 14 - LUAR

um passo em frente?

Na sexta-feira, dia 13, foram presos em Lisboa vários representantes do grande capital, acusados de sabotagem económica, saída e entrada ilegal de fundos e outras «negociatas» realizadas em torno da Sociedade Financeira, da Torralta e do B.I.P Foram eles: Jorge de Brito, Eduardo Matos Castro, Joaquim José de Paiva Correia, Agostinho da Silva, almirante Sarmento Rodrigues, João Maria da Silva Delgado, António Manuel de Sousa Vieira, Fernando Cruz, José da Silva e João Crisóstomo de Morais, Francisco Brás de Oliveira, andando fugido João Brás de Oliveira.
Como já foi expresso, de acordo com a nossa posição de apoio às medidas realmente progressistas tomadas, que correspondam aos interesses da classe trabalhadora, congratulamo-nos com esta investida dentro do campo até então sagrado da alta finança e do grande capital. Porém, a pergunta que se nos depara é se estas medidas representam realmente um golpe irreversível no edifício corrupto e explorador do capitalismo ou se pelo contrário ele não passa de um conserto para que esse edifício continue a manter-se com uma nova pintura.

1974-12-23 - Alavanca Nº 03 - II Série - INTERSINDICAL,

UNIDADE SEM TUTELAS

PERANTE as notícias que têm vindo a público sobre a realização no nosso país, por iniciativa da CISL, de um «seminário de sindicalistas» portugueses e estrangeiros, a Intersindical Nacional cumpre o dever de esclarecer o seguinte:
1. Na defesa da unidade do movimento sindical português e internacional, a Intersindical Nacional, em Assembleia Plenária de Sindicatos, decidiu abster-se da filiação em qualquer das centrais sindicais internacionais. 
2. Tal decisão não tem impedido que a Intersindical sempre tenha demonstrado disponibilidade para manter com todas as confederações nacionais e internacionais representativas as melhores relações de com base nos princípios que regem a normalidade das relações entre as organizações de trabalhadores, incluindo o de respeito mútuo e de não ingerência.

1974-12-00 - MORTE AO FASCISMO O POVO VENCERÁ! Nº 01 - AFAP

EDITORIAL

O presente jornal tem por finalidade dar todo o apoio, esclarecer e informai as largas massas de soldados e marinheiros das prisões dos nossos amaradas anti-fascistas presos, bera como da nossa luta exigindo a sua libertação.
A repressão militarista-fascista cai cada vez mais feroz sobre as largas massas de soldados e marinheiros no curto espaço de tempo são presos 19 marinheiros da fragata “Roberto Yevens” e 111 da fragata - João Belo por se terem recusado a reprimir o povo cabo-verdiano; o soldado anti-colonialista Santiago, por ter participado em 30 de Julho passado numa manifestação anti-colonial; o soldado instruendo Etelvino por ter participado no dia 4 de Novembro numa manifestação antifascista contra o partido fascista “CDS”; em Mafra foram presos 6 soldados e 2 aspirantes por se terem levantado contra a disciplina e a opressão fascista de que são alvo.

segunda-feira, 22 de dezembro de 2014

1974-12-22 - O SOLDADO ANTI-FASCISTA ETELVINO DE JESUS NO 6º DIA DE GREVE DE FOME! - RPAC


O SOLDADO ANTI-FASCISTA ETELVINO DE JESUS NO 6º DIA DE GREVE DE FOME!

CAMARADAS!
O soldado revolucionário e anti-fascista Etelvino de Jesus iniciou no passado dia 17 deste mês uma greve de fome, na prisão da Trafaria, por solidariedade com a luta de Maria José Morgado e pela sua imediata libertação e de todos os anti-fascistas presos.
Ferido pela polícia de choque quando ao lado do povo se manifestava contra o comício do partido fascista "CDS", o nosso camarada veio por esse motivo a ser preso dois dias depois a mando da Junta, do Governo Provisório e do MFA e com a especial colaboração do bufo social-fascista do P"C"P alferes Moura.

1974-12-00 - Luta Operaria na Benedita Nº 01

EDITORIAL

O que é o jornal LUTA OPERÁRIA NA BENEDITA, perguntarão muitos camaradas. O jornal LUTA OPERÁRIA NA BENEDITA é um jornal operário regional cujos objectivos são informações das lutas operárias na região e a sua divulgação. Isto não significa que não traga lutas operárias de outros pontos do país.
Apontar os problemas concretos que os operários e trabalhadores da região enfrentam dia a dia na sua luta contra a exploração capitalista.
Promover a sua discussão o mais alargada possível, cada vez com mais camaradas.
A partir da discussão, encontrar formas concretas de organização e resolução dos problemas que a todos nós afligem, que vão desde os baixos salários às mas condições de trabalho nas fábricas, até à falta de condições dignas de habitação, de ausência de transportes, da não existência de delegados sindicais por fábrica que nos representem e defendam até ao fim os nossos interesses. Toda esta situação que só favorece os patrões e a sua classe - a burguesia - permitindo-lhes que aumentem ainda mais a exploração e a miséria de que somos vítimas. O jornal procura dar respostas concretas a todos estes problemas, mas, para isso, é necessário que todos os camaradas da região façam círculos de discussão, que apresentem as suas conclusões aos camaradas que nele colaboram já, que façam a sua divulgação, que escrevam artigos para ele contando os problemas que têm na sua fábrica, a exploração de que são vítimas, as condições de trabalho da fábrica e tantos outros problemas que enfrentam, como nós, nas suas cases, nas suas aldeias só assim, promovendo em torno das nossos problemas concretos uma ampla discussão e seguidamente fornecendo a melhor maneira de, organizados, resolvermos os nossos problemas e satisfazermos os nossos interesses de classe, ele poderá ser, e já é neste momento, uma vez que a sua criação resulta do esforço e do trabalho dos camaradas mais combativos e conscientes, uma arma cada vez mais poderosa na luta contra a exploração capitalista e pela criação duma sociedade mais justa para os operários e trabalhadores, enfim, pare todos aqueles que o capitalismo explora, oprime e embrutece diariamente.

1974-12-00 - Luta Comunista Nº 04 - CARP(ml)

ATENÇÃO À LUTA DE IDEIAS!

Será verdade que a luta de classes entre proletariado e burguesia tem tanta força que até se reflecte dentro das fileiras do Partido, entre camaradas?
Todos os nossos camaradas aceitam isto no geral mas muitas vezes não sabem polo na prática. Para si mesmos perguntam: terei então que ver um possível inimigo de classe em cada camarada? Terei que procurar a voz do inimigo em cada divergência? Perturbados com isto, tratam de tirar todo o sinal de classe às posições assumidas e transformam a luta de ideias numa mera divergência de conhecimento. Mas, ao proceder assim, empobrecem a vida política das células, transformando-as numa espécie de clubes de amigos. Para que as nossas células sejam verdadeiros colectivos revolucionários é preciso que os camaradas se convençam de que a luta de classes também se trava dentro do Partido.

domingo, 21 de dezembro de 2014

1974-12-21 - I CONGRESSO do MES


1974-12-21 - COMÍCIO MDP-CDE em Castelo Branco


1974-12-21 - COMÍCIO DE AMIZADE R.D.A. PORTUGAL - PCP


1974-12-21 - Unidade Popular Nº 028 - PCP(ml) - Mendes

Honremos a memória do grande STALINE

Em 21 de Dezembro de 1974 os trabalhadores de todo o mundo celebraram o 95.° aniversário do nascimento de José Vissiarionovitch Djugashvili (STALINE), que durante 30 anos foi o maior dirigente do proletariado internacional. Sob a direcção de José Staline a classe operária alcançou enormes vitórias que transformaram por completo a face do mundo: foi edificado com sucesso o primeiro Estado Socialista, a União das Repúblicas Socialistas Soviéticas; foram vencidos todos os ataques e conspirações dos inimigos internos e externos do Estado Soviético e esmagada a besta nazi-fascista durante a Segunda Guerra Mundial; a grande Revolução Chinesa triunfou no Oriente e foram criadas as Democracias Populares da Europa Central, constituindo-se em torno da URSS um poderoso campo socialista capaz de neutralizar e repelir qualquer tentativa de agressão imperialista; finalmente, pela mão de Staline, o proletariado mundial ficou dotado de todas as armas teóricas e práticas para alcançar a vitória final sobre o imperialismo em decomposição. Até ao presente, nunca a Humanidade conhecera uma época de transformações revolucionárias e de progresso comparável aos 30 anos de direcção stalinista.

1974-12-21 - DISCURSO DE ÁLVARO CUNHAL NO COMÍCIO DE AMIZADE Partido Socialista Unificado da Alemanha - PCP

PARTIDO COMUNISTA PORTUGUÊS

DISCURSO DE ÁLVARO CUNHAL NO COMÍCIO DE AMIZADE Partido Socialista Unificado da Alemanha - Partido Comunista Português realizado na Amadora em 21-12-1974

Camaradas:
Já ao principiar este comício, o camarada Joaquim Gomes transmitiu aos nossos queridos hóspedes da República Democrática Alemã as saudações fraternais e calorosas do Comité Central do nosso Partido.
Não poderia porém eu, falando neste comício, deixar também de saudar a delegação do Partido Socialista Unificado da Alemanha, designadamente o seu eminente dirigente, o camarada Hermann Axen. Conheço de há muitos anos o camarada Axen, que, no tempo da ditadura fascista, muitas vezes manifestou profundo interesse pela luta da classe operária portuguesa e do nosso Partido.

1974-12-21 - QUE VIVA ESTALINE! - MRPP


LUTEMOS PELA MOBILIZAÇÃO DE TODAS AS FORÇAS PARA A FUNDAÇÃO DO PARTIDO!

FOGO SOBRE O REVISIONISMO!
QUE VIVA ESTALINE!

CAMARADAS:
Hoje dia 21 sábado comemora-se o aniversário do camarada ESTALINE.
Para nós Marxistas-Leninistas celebrar ESTALINE é pegar na sua bandeira e prosseguir na rota por si apontada. A rota apontada pelo camarada ESTALINE é a rota, do comunismo passando pela ditadura do proletariado que ele sempre defendeu e que o renegado revisionista Krutchev sempre traiu e ainda mais quando subiu ao lugar cimeiro do Partido e do Estado, por um golpe social-fascista após a morte do camarada ESTALINE.

1974-12-21 - INTERVIR NA ECONOMIA: DEFENDER A DEMOCRACIA - MDP-CDE

INTERVIR NA ECONOMIA:
DEFENDER A DEMOCRACIA

21 - DEZEM8RO - 74
MOVIMENTO DEMOCRÁTICO PORTUGUÊS

O momento político que vivemos caracteriza-se pelo choque frontal entre os interesses da esmagadora maioria da população portuguesa e os do escasso mas poderoso grupo de detentores do grande capital, os monopólios e os grandes agrários aliados ao imperialismo e à reacção internacional. 
A batalha na frente económica e decisiva para o futuro da democracia em Portugal. As repercussões da conduta dos grupos económicos, da não concretização de uma política económica que ataque frontalmente os grandes problemas do momento, estão a sentir-se cada vez mais.

sábado, 20 de dezembro de 2014

1974-12-20 - ERGAMOS BEM ALTO A BANDEIRA VERMELHA DO CAMARADA ESTALINE! - MRPP

ERGAMOS BEM ALTO A BANDEIRA VERMELHA DO CAMARADA ESTALINE!

AO POVO DE ALHOS VEDROS

CAMARADAS:
Faz no dia 21 de Dezembro 95 anos que nasceu o camarada J. V. ESTALINE.
Após a morte do grande LENINE quem dirigiu o Partido e o primeiro Estado de Ditadura do Proletariado?
Após a morte do grande LENINE quem conduziu a União Soviética na rota do Socialismo?
Quem foi o grande pilar que derrotou os Nazis na Segunda Grande Guerra senão a União Soviética?
E quem dirigiu o povo e o exércitos soviéticos contra a invasão da sua pátria pelos tropas nazistas?

1974-12-20 - Combate Nº 13

EDITORIAL

São raras as notícias sobre o que se passa em Angola, e Moçambique, para não falar nas outras colónias (Macau. São Tomé e Príncipe, Timor), bem como sobre a evolução da República da Guiné-Bissau após a independência política total. São quase tão escassas como antes do golpe de Estado do 25 de Abril, o que mostra, entre outras coisas, o processo de descolonização política a passar-se, de um lado e do outro, nos corredores. Há, no entanto, um aspecto que, pela sua importância, transparece em todas as notícias sobre esses territórios, especialmente em Angola, se não constitui até, por vezes, o seu tema único — o banditismo.
Bandidos armados, roubando, matando e violando eis o quadro dantesco em que se pinta, com cores de caos e terror, os acontecimentos de Angola. Os bandidos, está claro, são negros, e são manobrados por reaccionários, os quais são sobretudo brancos. Nesta distribuição da pigmentação de pele feita pelo jornalista usual ou pelo político metropolitano todos «de esquerdas», já se vê, e mesmo de «esquerdas socialistas»... — vai muito de racismo. A uns, os negros, a actividade bárbara e inconsciente. A outros, os brancos, pequenos geitos de mão nos cordelinhos com que manobram os primeiros — e lá vai a História vivendo ao sabor desta edição actualizada da relação do senhor com o escravo, que passa a ser a relação do esperto (branco) com o ingénuo (negro). (*)

1974-12-00 - Soldados - MAIS UM SOLDADO E UM FURRIEL MILICIANO ANTI-FASCISTAS PRESOS!

COMUNICADO À POPULAÇÃO E A TODOS OS MILITARES ANTI-FASCISTAS. MAIS UM SOLDADO E UM FURRIEL MILICIANO ANTI-FASCISTAS PRESOS!

Assiste-se nos últimos tempos, particularmente na últimas semanas, a uma escalada repressiva, por parte dos comandos militares de certas unidades e do Estado Maior do Exército, sobre soldados e milicianos anti-fascistas, reprimindo-se as suas justas por melhores condições de vida nas unidades, impedindo-se qualquer tentativa de reunião e discussão livres dos soldados, prendendo-se os soldados e milicianos empenhados na luta pelo saneamento dos oficiais e comandantes reaccionários.
Um soldado é preso em Tavira, por ter participado na luta contra a realização do comício da "juventude centrista “em Lisboa, patrocinado pelos fascistas do CDS;

1974-12-00 - Luta Nº 03 - II Série - C. Toupeira Vermelha - LCI

EDITORIAL 
A DEMISSÃO DO S. MINISTRO...

Logo após o 25 de Abril, segundo os órgãos de informação, calculava-se que a pasta da Educação e Cultura (MEC) seria a mais espinhosa, a que daria mais "dores de cabeça" aquele que a fosse "sobraçar".
Vimos, no entanto, que no 1º G. Provisório, o ministro Eduardo Coelho não se defrontou com graves problemas no respeitante ao seu ministério, devido, praticamente, à não existência de importantes processos de luta nas escolas, enquanto que por outro lado as férias se aproximavam.
No entanto, Vitorino Magalhães Godinho (o ora demissionário), não teve já a mesma sorte... As férias acabaram, os estudantes voltaram para as escolas, tendo aí conhecimento das novas decisões do MEC, e encontrando-se assim na necessidade de tomar posição face a essas "inovações".