Translate

domingo, 26 de março de 2017

1972-03-00 - Unidade Popular Nº 012 - PCP(ml)

MARCELO, O FANTOCHE MAIS DESPREZADO DOS IMPERIALISTAS AMERICANOS

O "acordo" finalmente assinado com os americanos sobre a cedência da base das Lages nos Açores Mereceu a Marcelo mais uma das suas melodiosas "conversa" na televisão de modo a serenar os ânimos do povo. Como ele disse, era preciso não se pensar que a prometida chuva de dólares vem "resolver todos os problemas que temos em aberto". Então, que problemas vem resolver esses milhões de dólares? Significarão eles, um aumento os salários da classe operária ou uma melhoria das condições de vida e de trabalho? Ou virão permitir ao patronato, aos senhores do capital, realizar novos negócios e aumentar, a exploração da classe operária dos trabalhadores do campo e dos empregados, forçados a vender, a sua força de trabalho? É neste ponto que o problema tem interesse para o povo Português; as lerias de Marcelo, por muito habilidosa que seja a sua lábia de advogado, mal escondem a verdade.

1977-03-00 - RESOLUÇÃO SOBRE A LUTA DOS ESTUDANTES CANDIDATOS À UNIVERSIDADE - FEML

FEDERAÇÃO DOS ESTUDANTES MARXISTAS-LENINISTAS Organização do PCTP/MRPP para a Juventude Comunista Estudantil

VIVA A OFENSIVA POLÍTICA DA FEM-L
DIRECTIVAS DO COMITÉ PERMANENTE DO COMITÉ CENTRAL DA FEM-L - 3

RESOLUÇÃO SOBRE A LUTA DOS ESTUDANTES CANDIDATOS À UNIVERSIDADE

Lisboa - Março - 1977

Está a levantar-se por todo o País entre os estudantes candidatos à Universidade um grande movimento de revolta e protesto contra as últimas medidas anti-estudantis e reaccionárias do Ministro Cardia que os afectam mais directamente (exames de aptidão, ano propedêutico o numerus clausus).
Esse movimento que tem assumido até agora a forma de reuniões de candidatos e eleição de Comissões de Candidatos, tem já um âmbito nacional ainda que uma boa parte disperso.

1977-03-00 - UM ANO DE EDIFICAÇÃO DO PARTIDO - PCP(R)

UM ANO DE EDIFICAÇÃO DO PARTIDO

DOCUMENTO DA 10a REUNIÃO PLENÁRIA DO COMITÉ CENTRAL SOBRE A EDIFICAÇÃO DO PARTIDO APROVADO PELO II CONGRESSO DO PCP(R)
Lisboa, Março de 1977

O Comité Central considera que foi bastante intensa a actividade de edificação do Partido desde o I Congresso e que os seus ensinamentos contêm uma grande riqueza.
Se o I Congresso unificou os comunistas e reconstruir o Partido, após este acontecimento histórico, o PCP(R) teve de desencadear a luta contra os restos do grupismo pequeno-burguês. Foi para isto que se abriu o processo de revolucio­narização e de proletarização das fileiras partidárias.
Mas o alcance deste processo não se fica pelo golpe de morte que deu no grupismo caciquista pequeno-burguês. Ele desempenhou um grande papel ideológico e político e reveste-se de uma importância histórica para o nosso Partido.

sábado, 25 de março de 2017

1977-03-25 - UMA SOLUÇÃO OPERARIA PARA A CRISE - PCTP/MRPP

UMA SOLUÇÃO OPERARIA PARA A CRISE

GRANDE COMÍCIO
com a presença do camarada secretário-geral arnado matos
25 MARÇO - SEXTA - 21H PAV. DESPORTOS LISBOA

A QUEM SERVE A DESVALORIZAÇÃO DO ESCUDO?
    Desintervenção das empresas ou avançar no Controlo Operário pelas Comissões de Trabalhadores?
  Indemnizações aos capitalistas estrangeiros ou expropriação aos imperialistas e social-imperialistas?
     Qual destas duas medidas serve aos operários e ao Povo Português?
UNA SOLUÇÃO OPERÁRIA PARA A CRISE! TODOS AO GRANDE COMÍCIO DO PCTP

25 MARÇO • SEXTA-FEIRA • 21 H. • PAV. DESPORTOS

1977-03-25 - UMA SOLUÇÃO OPERARIA PARA A CRISE - PCTP/MRPP

UMA SOLUÇÃO OPERARIA PARA A CRISE

GRANDE COMÍCIO
COM A PRESENÇA DO CAMARADA SECRETÁRIO-GERAL ARNALDO MATOS
25 MARÇO - SEXTA - 21H PAV. DESPORTOS – LISBOA

Enquanto todos os partidos da burguesia aplaudem, velada ou descaradamente as medidas anti-populares do governo, é o nosso Partido o único que contra elas se levanta e ousa dizer às massas que devem abandonar as ilusões quanto às políticas, aos programas e aos partidos da burguesia, que para vos «oferecer» só têm medidas de austeridade, «dias de trabalho para a nação» e «cabazes da fome».
Tais partidos prometeram-vos mundos e fundos, para nada vos dar, a não ser mais exploração, mais desemprego, mais fome e miséria.
O Povo trabalhador, deve, face à actual crise, raciocinar com a própria cabeça-e tirar as lições da sua própria experiência; perguntar onde estão as promessas do governo dito socialista, e denunciar o partido revisionista do P"C"P como o responsável principal pelas ilusões espalhadas no seio da classe operária e do Povo, e unir-se ao Partido que sempre lhes disse a verdade, o Partido que sempre se colocou à sua frente para lutar, unir-se ao nosso Partido, ao Partido Comunista dos Trabalhadores Portugueses. UMA SOLUÇÃO OPERÁRIA PARA A CRISE, é o tema do Grande Comício que o nosso Partido realiza na próxima sexta-feira, dia 25 de Março, pelas 21 horas no Pavilhão dos Desportos, que contará com a presença do camarada Arnaldo Matos, Secretário-Geral do PCTP, e onde será apresentada à classe operária e ao Povo que agora conclamamos a estar presentes, o programa que preconizamos como a saída possível para os explorados da nossa Pátria resolverem à sua maneira a crise e se libertarem do jugo que os oprime.

1977-03-25 - UMA SOLUÇÃO OPERÁRIA PARA A CRISE! - PCTP/MRPP

LUTA POPULAR
ÓRGÃO CENTRAL DO PCTP/MRPP

UMA SOLUÇÃO OPERÁRIA PARA A CRISE!
    Todos ao Comício no Pavilhão dos Desportos 6ª feira, dia 25, pelas 21 h.

CAMARADAS:
A notícia da realização do importante comício "Uma Solução Operaria para a Crise" levado a cabo pelo PCTP/MRPP não chega hoje às tuas mãos através do nosso jornal. Exactamente quando recomeçam as ocupações das fabricas e empresas como forma dos trabalhadores impedirem o regresso dos patrões, exactamente quando os assalariados rurais se levantam contra a perspectiva de novas e massiças desocupações, exactamente quando nos bairros populares as mulheres trabalhadoras organizam já as massas num grande protesto contra a carestia e a fome, exactamente quando o proletariado e o povo recusam pela sua luta a solução do grande capital para a crise — é precisamente neste momento que a burguesia cerca e procura silenciar o Órgão Central do PCTP, o Jornal da Verdade, o jornal da solução operária para a crise.

sexta-feira, 24 de março de 2017

1977-03-24 - Revolução Nº 103 - PRP-BR

EDITORIAL

O processo montado a 33 oficiais que vão a Conselho Superior de Disciplina veio confirmar que não era alarmismo de certa esquerda revolucionária quando falava no iminente saneamento nas Forças Armadas. Também não resta dúvidas que a montagem destes processos repousa sobre um critério que tem a haver com o fascismo. O ridículo, o infundado, o quase descarado vazio das acusações, quer bem dizer que a única razão para estes saneamentos é a dos oficiais em causa serem anti-fascistas consequentes. Vai portanto adiantado o avanço do fascismo dentro da hierarquia das Forças Armadas; os julgamentos que hoje pretendem organizar são já tão arbitrários como o foram alguns processos pseudo-legalistas no tempo do fascismo.
No entanto, já na estrutura do processo a hierarquia faz sentir «que muitos desses oficiais não são responsáveis por aqueles actos... mas sim que lhes dava ordens»: Com isto querem atingir «quem lhes dava ordens» e começar portanto uma segunda e uma terceira leva, até atingirem o Conselho da Revolução, ou seja, uma parte do Conselho da Revolução. Na verdade morde neste poder a presença de anti-fascistas e no CR, a qual tem a sua expressão nos quartéis. Como pode a direita engolir que os capitães de Mafra se insurjam contra os processos dos oficiais que vão a Conselho Superior de Disciplina? Como pode a direita engolir que tenha que ser o próprio Ministro a ordenar a intervenção da GNR no Cacém, passando por cima do general?